"FATO RELEVANTE"

"Nossa empresa não opera com intermediários , não cobramos comissões sobre os projetos em analises.” Somente com a plataforma operacional Brasil em Goiânia esta autorizada a nos representar , ferronato@ybbrio.com.

.

.

abril 06, 2020

Mercado vê sinais de alívio


BTG Pactual (BPAC11/BPAC3/BPAC5):  O Conselho do BTG Pactual aprova programa de recompra de até 15 milhões de Units em 18 meses.
Unipar (UNIP6/UNIP3/UNIP5):  Unipar anuncia dividendos de R$ 41,2 milhões; ações ficam "ex" na segunda-feira.
Lojas Americanas (LAME4):  Lojas Americanas emite notas promissórias de R$ 1 bilhão.
Gerdau (GGBR4):  informou nesta sexta, 3, após o fechamento do mercado, as medidas adotadas em meio à queda da atividade econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus. 
A siderúrgica divulgou que ocorrerão paralisações em suas diferentes aciarias elétricas e laminações de aços longos, durante o mês de abril. “Durante esse mês, teremos a parada do Alto-Forno 2 de Ouro Branco – MG, que possui uma capacidade instalada de 1,5 milhão de toneladas anuais. Essas iniciativas se devem à redução da demanda principalmente nos setores da indústria e da construção civil”, afirmou a Gerdau. 
O Alto-Forno 1, em Ouro Branco (MG), com capacidade de 3 milhões de toneladas anuais, segue operando normalmente.
Gol (GOLL4):  A companhia aérea GOL divulgou os números prévios de tráfego do mês de março, o primeiro contende a influência do Coronavírus.
Até o dia 13 de março, ainda sem o efeito do COVID-19, a taxa de ocupação foi de 82%.
A partir do dia 16 de março, a empresa reduziu os vôos nacionais entre 50 e 60% e os internacionais entre 90 e 95%.
A demanda total em março teve uma queda de 29,7% e a taxa de ocupação ficou em 71,6% comparado com o mesmo período de 2018.
A queda também ocorreu na oferta(-22,2%), no total de assentos (-23,1%) e no número de decolagens (-21,2%).
O comunicado foi feito pela empresa na manhã desta segunda-feira (06). 
Braskem (BRKM5): A Braskem publicou na noite da sexta-feira passada (3 de abril) um press-release na CVM, no qual informou um prejuízo de R$ 2,9 bilhões no quarto trimestre de 2019. A empresa informou que obteve um lucro antes dos impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 993 milhões no quarto trimestre do ano passado, uma queda de 32% em comparação ao quarto trimestre de 2018. 
A receita líquida da Braskem, no quarto trimestre do ano passado, também recuou, embora menos (12%) sobre igual trimestre do ano anterior, para R$ 12,6 bilhões.
“A empresa registrou o prejuízo líquido em função da provisão contábil no montante de R$ 3,38 bilhões referente à implementação, em Alagoas, do Programa de Compensação Financeira e Realocação, de ações para o fechamento de determinados poços de sal da companhia e do Programa para Recuperação de Negócios”, informou no press-release.
A petroquímica Braskem comunicou ao mercado que havia adiado a divulgação do seu balanço de 2019 e também cancelou a data da sua assembleia geral ordinária, por causa da epidemia do coronavírus. A assembleia da Braskem ocorreria dia 30 de abril na sede da empresa em Camaçari (BA).
Mercados... Mercados asiáticos iniciaram a semana em tom predominantemente positivo, com bolsas de Tóquio e de Hong Kong acumulando altas de 4,2% e 2,2%, respectivamente. Não houve negociação em Xangai em função do feriado de reverência aos mortos que teve início neste sábado. Na zona do euro, ativos de risco abriram com o mesmo viés altista verificado nos pregões asiáticos, com o STOXX 600, índice que abrange ativos de diversos países do bloco, saltando 2,9% até o momento. Em NY, índices futuros acumulam ganhos da ordem de 3,5%, sinalizando uma abertura favorável para ativos de risco americanos. Enquanto isso, o dólar (DXY) freia o avanço contra seus principais pares do G10. No plano das commodities, ativos se movimentam sem tendência bem definida. O preço do petróleo (Brent Crude) registra desvalorização de 3,6%, negociado próximo aos US$ 33,00/barril, após frustração de acordo entre Rússia e Opep+. 
Melhora generalizada... Os mercados globais iniciaram a semana em tom positivo, dando sequência à dinâmica errática que vem sendo apresentada pelas principais bolsas do mundo. O movimento de melhora se dá principalmente por terem sido verificadas melhoras no quadro de contágio em alguns dos países mais afetados pela doença ao longo do fim de semana. 
Menos mortes nos EUA e na zona do Euro...  O número de novos casos de Covid-19 registrou uma queda significativa na zona do euro. Neste domingo, a Itália e a França reportaram o menor número de mortes em 2 semanas e 5 dias, respectivamente, enquanto a Espanha registrou uma redução nos óbitos relacionados à doença pelo 3º dia consecutivo. Nos EUA também foi verificada uma ligeira melhora em NY, onde as mortes apresentaram uma redução pela 1ª vez. 
Luz no fim do túnel...  A melhora supracitada é bem recebida pelos mercados, que continuam procurando sinais de arrefecimento da doença nas principais economias ao redor do mundo. Para alguns, os números do final de semana já passam a simbolizar uma luz no fim do túnel para esta crise. Por ora, continuamos recomendando cautela, pois os dados, apesar de positivos, ainda são inconclusivos na definição de um avanço definitivo no combate à doença.
Índice Sentix na UE...  O índice de confiança do investidor europeu mensurado pela Sentix continuou mostrando que a situação nos mercados financeiros da região permanece sombria. Como esperado, o noticiário em torno da Covid-19 seguiu regendo o movimento das principais bolsas internacionais entrando em abril. De um lado, investidores acompanham a deterioração da economia e da situação fiscal dos países do bloco, forçados a gastar mais no combate à doença. Do outro, existe a esperança de que o “lockdown” das economias perdure por menos tempo do que o inicialmente esperado.   
Último pregão 
Ibovespa: -3,76% aos 69.537
Real/Dólar: +1,73% cotado 5,34
DI Jan/21: +27 bps cotado a 8,02%
S&P 500: -1,51% cotado a 2.488
por Guide Investimentos 
por ADVFN

NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL5,28-1,29%
Euro vs BRL5,71-1,34%
Sterling vs BRL6,49-0,68%
Yen vs BRL0,05-1,65%