"FATO RELEVANTE"

"Nossa empresa não opera com intermediários , não cobramos comissões sobre os projetos em analises.” Somente com a plataforma operacional Brasil em Goiânia esta autorizada a nos representar , ferronato@ybbrio.com.

.

.

abril 14, 2020

Giro no mercado nesta terça feira

O comércio exterior da China apresentou dados melhores que os esperados em março, quando o país asiático estava nos últimos estágios da pandemia do coronavírus e fez com que todas as bolsas asiáticas terminassem o dia em alta. 
As exportações chinesas caíram 6,6% em março e as importações recuaram apenas 0,9% no mês passado. 
Embora a China pareça ter superado o pior da epidemia em março, a situação é muito negativa no resto do mundo, com quase dois milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus. 
Na Europa, a maioria das bolsas voltou do feriado prolongado de Páscoa no azul, diante dos sinais de que os novos casos de coronavírus parece ter atingido o pico na zona do euro e no Reino Unido, o que permite que alguns países comecem a se mover lentamente para reabrir suas economias. 
Os índices futuros das bolsas de Nova York avançam, enquanto os investidores aguardam pelos resultados dos bancos norte-americanos hoje, dando início ao que deve ser uma dolorosa temporada de balanços, por causa da pandemia de coronavírus. A expectativa é de queda na demanda pelos negócios das empresas e de uma perspectiva sombria para o restante do ano. Destaque do dia para os resultados da gigante Johnson & Johnson, JP Morgan, Wells Fargo e outros. 
Brasil:
Os investidores locais estão mais preocupados é com o rombo nas contas públicas. Aos olhos dos investidores, o Congresso estaria tirando proveito da fraca articulação do Executivo em torno dessas votações para “capitalizar politicamente” as pautas em discussão, de grande apelo popular. Outra preocupação é com o aumento do risco fiscal no país, por causa da injeção de recursos para socorrer a população em meio à crise causada pela Covid-19. 
O pico de casos da doença também chegou no Brasil, assim como já se nota nos EUA e na Europa. Nos números oficiais, o país registra quase 24 mil casos confirmados e mais de 1,3 mil mortes, mas é sabido que tais dados não refletem a realidade. 
A aprovação do projeto de socorro aos estados e municipais ontem na Câmara, sem contrapartidas, tende a desagradar os investidores, uma vez que já não agrada o ministro da Economia, Paulo Guedes, que tenta articular mudanças no texto-base. 
O maior temor é de que tais medidas temporárias de expansão fiscal se tornem permanentes, jogando fora toda a austeridade implementada nos últimos anos e enfraquecendo a agenda de reformas estruturais da economia. O projeto segue para o Senado, onde também deve ser votado, na quarta-feira, o chamado “Orçamento de Guerra”. 
Agenda Econômica
Destaque para os Earnings do primeiro trimestre da gigante americana Johnson & Johnson. 
Líder em todos os principais setores da saúde, ocupa posições de liderança em diversos segmentos. A alta necessidade de medicamentos e o suprimento contínuos deve proteger o resultado dessa empresa de grande porte, juntamente com outras grandes empresas farmacêuticas, dos impactos do coronavírus. 
As empresas Fastenal Co (FAST), Johnson & Johnson (JNJ), JPMorgan Chase & Co (JPM),United Airlines Holdings Inc (UAL) e Wells Fargo & Co (WFC) possuem BDR negociadas na B3 e tem previsão para entregar os resultados (Earnings) no dia de hoje. 
No Brasil, saberemos como a economia reagiu na crise do coronavírus com o índice de atividade econômica do BC (IBC-Br) e a realização da AGOE do Carrefour. As ações da Raia Drogasil passam a ser negociadas como “Ex-dividendos” a partir desta Terça-feira.
Índice IBC-Br de atividade econômica tem variação mensal de 0,35% em fevereiro,acima do esperado de 0,20%. A variação anual do IBC-Br é de 0,60%, abaixo do esperado de 0,70%.
Reação do Mercado (07h00)
Ontem, segunda-feira (13), o Ibovespa voltou a subir em dia de grande volatilidade e fechou em alta de 1,49%, sendo cotado a 78.835,82 pontos. Índice teve a ajuda de ações de peso, como Vale, Petrobras e bancos, beneficiadas pela recuperação dos preços das commodities. Também contribuíram os papéis dos frigoríficos, Marfrig e JBS. O dólar também subiu e encerrou a sequência de quedas da semana anterior, fechando o dia valendo R$ 5,18, com os analistas se preparando para uma recessão mundial. 
Índice Dólar DXY opera em queda de 0,14%. 
Índice Vix cai 1,85%. 
O Brent de maio (NYMEX:BZ\M20) está caindo -0,4%(US$ 31,61 ) e o WTI opera em baixa de -1,6% sendo cotado a US$ 22,05. 
Os futuros americanos operam em alta: S&P (+1,08%), Dow Jones (+1,23%) e Nasdaq (+1,37%). 
Bitcoin é negociado em alta de +0,29%, valendo US$ 6.883,70 
Rendimento dos Treasuries Americanos de dez anos opera estável para 0,747% 
ETF EWZ sobe 2,20%.
■ Commodities  
Minério de ferro: Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em alta de 1,17%, cotados a 606.500 iuanes, equivalentes a US$ 85,94 . 
Petróleo WTI:  -2,05% (US$ 21,97, barril).
Petróleo Brent:  -1,26% (US$ 31,34 barril).

NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL5,20+0,01%
Euro vs BRL5,70+2,40%
Sterling vs BRL6,53+0,27%
Yen vs BRL0,05+0,27%