"FATO RELEVANTE"

"Nossa empresa não opera com intermediários , não cobramos comissões sobre os projetos em analises.” Somente com a plataforma operacional Brasil em Goiânia esta autorizada a nos representar , ferronato@ybbrio.com.

.

.

abril 13, 2020

Giro no mercado nesta segunda feira

Mercados globais

Mercados... Mercados asiáticos encerraram pregões com leve viés negativo. Na zona do euro, as principais bolsas não abrirão para negociações em função feriado de Páscoa. Em NY, índices futuros operam em baixa, com perdas da ordem de 1,5% até o momento, enquanto o dólar (DXY) interrompe sequência de queda contra seus principais pares do G10. No plano das commodities, ativos se movimentam sem direção única. O petróleo (Brent Crude) opera estáveis ao redor de US$ 31,50/barril. 
Incerteza prevalece sobre fluxo positivo do feriado... Bolsas internacionais iniciaram a semana em tom levemente negativo, com investidores se preparando para o início da temporada de balanços nos EUA. A grande incerteza derivada das medidas de afastamento social no período deve marcar a divulgação dos resultados corporativos do 1T20. No feriado, os destaques ficaram com o firmamento de um acordo histórico pelo corte na produção mundial de petróleo e com um novo arrefecimento nas curvas de contágio do Covid-19 na Europa e nos EUA. 
Opep+ e produtores mundiais chegarm a acordo histórico... A Organização de Países Produtores de Petróleo (Opep) e outros países produtores de petróleo chegaram a um acordo histórico pela redução da produção de petróleo, pondo um fim à guerra de preços que vinha sendo travada entre Rússia e Arábia Saudita. O grupo se comprometeu a reduzir a produção da commodity em 9,7 milhões de barris/dia, quantidade que equivale a quase 10% da oferta mundial, nos próximos 2 meses (maio e junho). Os EUA, o Brasil e o Canada irão contribuir com um corte adicional de 3,7 milhões de barris/dia, e outros países membros do G20 com uma redução de mais 1,3 milhão de barris/dia.
Petróleo segue volátil após fim das negociações...  Apesar do fim da guerra de preços trazer um alívio adicional para o cenário, o preço do petróleo segue apresentando uma trajetória bastante volátil no início desta semana. Após registrar avanços na notícia de que o acordo vinha sendo firmado, a commodity voltou a devolver os ganhos e já opera em terreno negativo, reflexo da avaliação de que o corte não será suficiente para balancear o mercado dada a forte queda da demanda mundial promovida pelo surto de Covid-19 ao redor do mundo. Segundo projeções de mercado, a demanda pode estar defasada em até 35 milhões de barris/dia, valor aproximadamente 3 vezes maior do que o corte anunciado.
Atualização Covid-19... Na fronte de avaliação das curvas de contágio da doença, o noticiário também veio em fluxo mais positivo no final de semana. Assim como foi verificado na semana passada, os números de novos casos na Europa e nos EUA continuaram mostrando sinais de arrefecimento. No velho continente, destaque para a Espanha, que registrou o menor número de novos casos (3.477 nas últimas 24 horas) desde o dia 20 de março, 6 dias após a instauração da quarentena. Do outro lado do Atlântico, nos EUA, o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, voltou a declarar algumas partes do país poderão estar aptas a afrouxar medidas de confinamento já a partir de maio..
Último pregão 
Ibovespa: +1,20% aos 77.681
Real/Dólar: -0,26% cotado a 5,10
DI Jan/21: -15 bps cotado a 7,45%
S&P 500: +1,45% aos 2.789.
por Guide Investimentos 
■ Commodities  
Minério de ferro:  Os Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de 0,08%, cotados a 596.000 iuanes, equivalentes a US$ 84,51 
Petróleo WTI:  +0,48% (US$ 22,88, barril).
Petróleo Brent:  -0,73% (US$ 31,25 barril).

NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL5,12+0,33%
Euro vs BRL5,58+0,28%
Sterling vs BRL6,40+0,60%
Yen vs BRL0,05+0,65%