"FATO RELEVANTE"

"Nossa empresa não opera com intermediários , não cobramos comissões sobre os projetos em analises.” Somente com a plataforma operacional Brasil em Goiânia esta autorizada a nos representar , ferronato@ybbrio.com.

.

.

abril 27, 2020

Bolsas mundiais sobem com expectativa por fim da quarentena

O mercado internacional abriu em alta com os investidores olhando para reabertura de setores inteiros da economia que ficaram fechados desde o início de março para frear a propagação do Covid-19.
As principais bolsas europeias têm ganhos acelerados com boas notícias surgindo do outro lado do atlântico.
Na Itália, onde o número de novos casos e infecções cai diariamente, o primeiro-ministro Giuseppe Conte assinou ontem um decreto para a Fase 2 da reabertura, que valerá entre os dias 4 e 18 de maio, liberando os italianos, com uso de máscara obrigatório, para frequentar parques, visitar parentes e amigos dentro da mesma região e participar de funerais.
O primeiro-ministro Boris Johnson recomeça a trabalhar hoje e também deve anunciar o fim escalonado da quarentena mas alertou que o momento é de “máximo risco” do surto com o coronavírus. O país tem mais de 20 mil mortes e 154 mil casos confirmados.
Na Ásia, o sinal positivo também prevaleceu, com destaque para o avanço de quase 3% do índice Nikkei 225, após a decisão do Banco Central do Japão (BoJ) de elevar o limite de compra de títulos soberanos do governo japonês (JGBs) e aumentar as compras de papéis comerciais e os empréstimos aos bancos.
Os índices futuros das bolsas de Nova York amanheceram em alta com anúncio do governado de Nova York, Andrew Cuomo, anunciando ontem a reabertura gradativa da economia – começando pela manufatura e a construção, e em uma segunda fase, os demais setores.
O grande destaque em Wall Street será a semana mais importante dos resultados do 1T20 com as quatros empresas que já atingiram valor de mercado de mais de US$ 1 trilhão divulgando seus ganhos no trimestre.
Os preços do petróleo WTI e Brent continuam a despencar. Os futuros internacionais de petróleo Brent (NYMEX:BZ\M20) negociam agora em queda de 3,7% negociado a US$ 20,65.
O WTI (NYMEX:CL\M20) desaba mais forte por volta de 15,7% sendo negociado a US$ 14,29.
Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de -0,82%, cotados a 602.000 iuanes, equivalentes a US$ 85,00.
Bitcoin está estável, valendo US$ 7.699.
ETF EWZ sobe 3,79% no pré-market.
Rendimento dos Treasuries americanos de dez anos sobe 3 BPS para 0,627%
Índice VIX, conhecido como índice do medo, cai 1,31%.
Coronavírus
O número de mortes por coronavírus no país já ultrapassou a marca de 4 mil, totalizando mais de 60 mil casos confirmados da doença, segundo dados oficiais. Mas sabe-se que a quantidade real de óbitos e pessoas contaminadas é muito maior, por causa da realização insuficiente de testes.
Brasil
As principais dúvidas giram agora em torno dos desdobramentos das graves acusações feitas por Sérgio Moro, que “caiu atirando” e sugeriu que o chefe do Executivo cometeu crimes de responsabilidade, o que pode incorrer em um processo de impeachment. Uma abertura de inquérito já foi pedida na Suprema Corte (STF) para investigar as acusações do ex-juiz da Operação Lava-Jato. Além disso, surgiram denúncias na imprensa de que o escolhido para comandar a Polícia Federal, pivô da crise, é amigo de um dos filhos do presidente.
Mas o maior medo é sobre a continuidade de outro “superministro”. Paulo Guedes é considerando o segundo pilar de sustentação do governo Bolsonaro, mas na semana passada surgiram especulações sobre sua saída após a equipe econômica ter ficado de fora do programa “Pró-Brasil”, de perfil intervencionista e com elevados gastos públicos – algo que não faz parte da Escola de Chicago. O temor dos investidores é de que a agenda liberal-reformista seja deixada de lado, enfraquecendo a figura de Guedes.
Agenda Econômica
A semana será mais curta no Brasil, Ásia e boa parte da Europa pelo feriado do Dia do Trabalho.
No Brasil, teremos balança comercial e relatório Focus nesta segunda-feira mas o destaque por aqui é, sem dúvida, a prévia da inflação ao consumidor (IPCA-15), amanhã, que deve calibrar as expectativas em relação a novos cortes na taxa básica de juros (Selic). Merece atenção os índices de confiança em vários setores produtivos, ao longo dos próximos dias, e os dados sobre o mercado de trabalho (Pnad) no país até março.
No exterior, é dia de agenda fraca mas na quarta-feira os Estados Unidos divulgam o PIB do primeiro trimestre e haverá reuniões de política monetária. Na quinta-feira é a vez do PIB da Zona do Euro, que devem mostrar o forte impacto da pandemia de coronavírus e o pedido de seguro-desemprego dos americanos. 
■ Commodities  
Minério de ferro: Os contratos futuros mais líquidos do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian, na China, fecharam em queda de -0,82% cotados em 602 iuanes.
Petróleo WTI:  -16,47% (US$ 14,14, barril).
Petróleo Brent:  -4,07% (US$ 23,85 barril).