"FATO RELEVANTE"

"Nossa empresa não opera com intermediários , não cobramos comissões sobre os projetos em analises.” Somente com a plataforma operacional Brasil em Goiânia esta autorizada a nos representar , ferronato@ybbrio.com.

.

.

março 27, 2020

Bolsas em queda na Europa, EUA alcançam 85 mil casos de covid-19

Mercados... Bolsas asiáticas operaram em terreno predominantemente positivo nesta 6ªf, seguindo o 3º dia consecutivo de alta na Europa e nos EUA. Na zona do euro, ativos de risco iniciaram o dia com viés de baixa, devolvendo parte dos ganhos acumulados nas últimas sessões. O STOXX 600, índice que abrange ativos de diversos países do bloco, registra queda de 2,7% até o momento. Em NY, futuros também voltam a cair, ensaiando uma abertura negativa para ações americanas após o maior rali em registro para o S&P desde 1933. Enquanto isso, o dólar (DXY) interrompe queda e passa a operar estável contra seus principais pares do G10. No plano das commodities, ativos se movimentam próximos à estabilidade. O preço do petróleo (Brent Crude) recua 1,3%, negociado próximo aos US$ 26,00/barril.
Bolsas tem manhã de ajuste ... Os mercados globais iniciaram o dia em queda, ensaiando devolver parte dos ganhos acumulados ao longo dos últimos 3 pregões. Apesar das medidas de estímulo fiscal e monetário anunciadas nos últimos dias terem aliviado expectativas, as atenções continuam voltadas para o crescimento no número de infectados pelo Covid-19 ao redor do mundo. Reforçamos novamente: até que se verifique com uma maior clareza a estabilização da doença na Itália, Espanha ou EUA – países que teoricamente já estão em estágios mais avançados no que tange a disseminação do vírus – não haverá confiança para fomentar uma volta mais sustentável dos mercados.
EUA supera a China no número de casos... Como principal destaque desta manhã, os EUA superaram a China em número de casos confirmados de Covid-19, após um forte salto dos números em Nova York. No pano de fundo, o presidente americano, Donald Trump, e sua contrapartida chinesa, Xi Jingping, prometeram uma maior cooperação dos países no combate a pandemia. Apesar do país onde o vírus nasceu já estar voltando à normalidade, o governo chinês tem recebido duras críticas da forma com que tratou a situação, principalmente após um forte veículo de mídia sediado em Hong Kong, o South China Morning Post, anunciar que o número só não está “30% mais alto” porque os hospitais de Wuhan se recusaram a testar pacientes sem sintomas.
Os números... Segundo a última atualização oficial da Organização Mundial de Saúde (WHO, na sigla em inglês), os EUA alcançaram os 85 mil casos confirmados de pacientes com Covid-19, superando os 81 mil casos na China. Na Europa, a situação também não mostra sinais claros de arrefecimento, com casos na Itália (81 mil), Espanha (64 mil), Alemanha (42 mil) e França (29 mil) superando 215 mil. Ao todo, o número de infecções ultrapassou os 535 mil ao redor do mundo, que tem a contagem de mortes relacionadas pela doença se aproximando de 25 mil.
E os mercados hoje? Bolsas internacionais ensaiam encerrar a semana em tom negativo após 3 dias de altas consecutivos. Apesar dos novos estímulos que foram anunciados nas principais economias agradarem investidores, a falta de clareza sobre o controle do surto de Covid-19 continua impedindo uma recuperação mais sustentável dos mercados. No Brasil, a cena política segue caracterizada por disputas internas e entre os poderes, enquanto a equipe econômica prepara seu “pacote de guerra” para sustentar os empregos em meio à crise. Dado este ambiente de indefinição, o mercado local deverá continuar refém da dinâmica verificada no exterior.  
Último pregão
Ibovespa: +3,67% aos 77.709
Real/Dólar: -0,24% cotado 5,02
DI Jan/21: 0 bps cotado a 7,63%
S&P 500: +6,24% cotado a 2.630
por Guide Investimentos
Commodities  
Minério de ferro: Os contratos futuros mais líquidos do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian, na China, fecharam em queda de -0,15%, cotados a 659 iuanes.
Petróleo WTI: +0,27% (US$ 22,64, barril).
Petróleo Brent: -0,95% (US$ 26,08, barril).


NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL5,06+0,70%
Euro vs BRL5,57+0,38%
Sterling vs BRL6,21+1,24%
Yen vs BRL0,05+1,19%
blank