February 26, 2020

Vamos entender o Plano de negocios para não existir erro inicial no seu projeto

trabalhar remotamente sem trabalhar em casa
·     
Um plano de negócios abrangente deve ser composto pelas seguintes seções:

·   Capa: Deve conter informações como, razão social da empresa, endereço completo, logomarca da empresa, nome da pessoa responsável pela elaboração do plano, mês e ano da elaboração e o número da cópia ou edição.

·       Índice: Desempenha função semelhante a qualquer outro índice, servindo para que o leitor localize mais rapidamente as informações que lhe for pertinente, uma vez que, cada leitor possui interesses particulares e específicos na análise de um documento desta natureza.

·       Sumário executivo: Deve conter uma síntese do plano, ou seja, deve conter de forma resumida os seus pontos principais, mostrando todas as vantagens do potencial negócio. Esta seção do plano deve motivar o leitor a seguir com a análise do documento.

·       Descrição da empresa: Finalizada as seções preliminares do plano de negócios, a próxima etapa a ser desenvolvida é a descrição da empresa. Nesta seção, devem ser explicitas as informações principais da empresa como: o que a empresa irá oferecer, quais serão os seus produtos ou serviços, como a empresa foi fundada ou qual foi a ideia que motivou a elaboração do plano, qual o seu ramo de atividade, quem são os seus potenciais clientes, quais serão os diferenciais competitivos oferecidos pela empresa, onde ela se localizará, qual a sua área de atuação (regional, nacional ou internacional), qual a sua equipe gerencial e registros necessários.

·       Planejamento estratégico: Etapa indispensável do plano de negócios onde deve-se explicitar todas as estratégias a serem adotadas pela empresa para que os objetivos almejados possam ser concretizados. O planejamento estratégico deve ser utilizado como sustentação e apoio para as tomadas de decisões. O processo de planejamento estratégico segue as seguintes etapas: 


1. Declaração da visão e missão e da empresa;
           2. Análise do ambiente externo para identificação de oportunidades e ameaças de mercado;
3. Análise do ambiente interno para identificação dos pontos fortes e fracos da empresa;
           4. Análise setorial para complementar a análise do ambiente externo;
           5. Análise da concorrência;
           6. Análise de sensibilidade para mapear o perfil e as preferências do consumidor;
           7. Construção da matriz SWOT;
 8. Construção da matriz de relacionamento e estabelecimento das estratégias;

Descrição dos produtos e serviços: Seção dedicada a descrição detalhada dos produtos e/ ou serviços que a empresa irá ofertar ao mercado. Com essa descrição, é possível que o empreendedor realize uma comparação entre os produtos/ serviços já existentes no mercado com os que se pretende lançar, podendo desta maneira vislumbrar o que os concorrentes possuem de superioridade e inferioridade. Com a descrição dos produtos/ serviços e a análise mercadológica da seção anterior é possível definir as estratégias de produto.

·       Plano de marketing: Desenvolvimento do composto de marketing (4Ps) com a revisão ou definição das estratégias de: produto/ serviço, preço, praça (distribuição) e promoção.
·       Plano de vendas: Seção dedicada a especificação da previsão de vendas para curto e médio prazo. Além de estabelecer as metas, esta seção fornece informações cruciais para que seja possível executar posteriormente a análise de viabilidade do negócio.
·       Definição do plano operacional: Seção dedicada a descrição do funcionamento da empresa, contendo a especificação da estrutura organizacional (organograma), descrição das máquinas, equipamentos e recursos humanos necessários, especificação dos Layouts, estratégias de programação da produção, roteiros de fabricação, B.O.M (Bill Of Material), procedimentos e instruções de trabalho, softwares de gestão e controles que serão adotados.
Uma outra parte fundamental do plano operacional refere-se à apuração dos custos. Nesta etapa do plano, o empreendedor deverá definir e oficializar o método de custeio que a empresa irá utilizar, bem como as razões de sua escolha e as suas vantagens. Existem diferentes tipos de métodos de custeio, cada um com suas vantagens e desvantagens. Porém, o critério fundamental para se optar por um ou outro método está na utilidade dos relatórios, que dentro do plano de negócios, são vistos como a base para as tomadas de decisões e não apenas como demonstrativos contábeis para fins legais. O quadro a seguir apresenta os métodos de custeio existentes e suas respectivas vantagens e desvantagens.

A parte final do plano operacional deve especificar os critérios de controle de qualidade. O objetivo é manter o nível de qualidade de acordo com as especificações demandadas, reduzindo ao máximo os possíveis problemas. Desta forma deverá ser elaborado pelo empreendedor um plano de qualidade (inspeção e testes), que deve considerar:

·       Pontos do processo que necessitam de verificação;
·       Tipo e método de verificação (e equipamentos a serem utilizados, quando relevante);
·       Qualificação da pessoa responsável pela verificação;
·       Critérios de aceitação/ rejeição (por meio de parâmetros ou comparação com amostras ou padrões aprovados);
·       Registros a serem mantidos e certificados requisitados.
   
   
    Plano financeiro: Seção onde deve-se realizar uma análise detalhada do fluxo de caixa projetado com o objetivo de propiciar a análise de viabilidade do negócio. No plano de negócios o papel fundamental do plano financeiro é apresentar projeções de desempenho futuros da empresa, que se bem desenvolvidos, poderão transmitir maior confiabilidade aos leitores. No plano de negócios, a seção financeira deverá compreender as seguintes etapas: plano de vendas, planilha descritiva de custos, plano de investimentos, fluxo de caixa, balanço patrimonial, demonstração de resultados do exercício e análises complementares como, BEP – Break Even Point (ponto de equilíbrio), ROI – Retorno sobre o investimento, PAYBACK, TIR, VPL, entre outras técnicas pertinentes como, índice de liquidez, índice de atividade, índice de endividamento, índice de lucratividade, etc.