February 28, 2020

Giro no mercado nesta sexta feira

Mercados... Índices asiáticos continuaram operando em queda livre, com mercados de Shanghai e Tóquio acumulando quedas de mais de 3,5% na sessão. Na zona do euro, bolsas caminham para mais uma sessão de fortes perdas, com o STOXX600, índice que abrange ativos de diversos países do bloco, caindo mais de 3,5% até o momento. Em NY, futuros também operam em queda livre, com baixas de mais de 1,0%, enquanto o dólar (DXY) volta a recuar contra seus principais pares. No plano das commodities, ativos seguem a mesma tendência dos mercados
Medo domina os mercados...  Bolsas internacionais dão sequência ao movimento de queda que se intensificou na tarde de ontem, com investidores avaliando os impactos do coronavírus como maior do que o inicialmente esperado. A descoberta de pelo menos 33 novos casos na Califórnia – cujo governo já diz acompanhar mais de 8 mil suspeitos de infecção – e a declaração de estado de emergência pelo Hokaido japonês são algumas das headlines que contribuíram para o pânico generalizado desta manhã.
Longe do fundo do poço...  As quedas da ordem de mais de 4% das bolas americanas na tarde de ontem configuraram a 6ª sessão consecutiva de baixa e o maior declínio diário para o S&P 500 desde agosto de 2011. A verdade é, os índices americanos já entraram em território de correção, devolvendo mais de 10% em relação ao pico alcançado nas últimas semanas. Na esteira deste movimento, já temos bolsas europeias caindo mais de 3,0% na manhã desta 6ªF, com investidores receosos de correrem mais risco durante o final de semana. Em suma, ninguém se arrisca a dizer que já chegamos ao fundo do poço nesta frente.
Os números... Segundo a última atualização, o número de casos confirmados já se aproxima dos 84 mil e as mortes de 2.800 pessoas. Como principais destaques da manhã temos o número de casos nos EUA atingindo os 60 e a Coréia do Sul superando 2.300 nesta 6ªF.
E os mercados hoje? A disseminação do novo coronavírus para novos países e a intensificação do surto em países já afetados continua derrubando ativos de risco e reforçando a busca por proteção nos mercados internacionais. No Brasil, a bolsa deve continuar passando por correções na medida em que cresce a percepção de risco global, fato que também deve continuar pressionando o real contra o dólar. Com a moeda americana se aproximando dos R$4,50, às 9h30, o BC já se prepara para ofertar mais de US$ 4 bilhões para suprir a demanda por proteção contra a moeda americana, entre operações de swap cambial e leilões de linha. Em função disso, esperamos mais um dia de viés negativo para ativos de risco brasileiros.
Desemprego Brasil... Desemprego fica em 11,2% em janeiro, e atinge 11,9 milhões, diz IBGE. 
Último pregão
Ibovespa: -2,59% aos 102.984
Real/Dólar: +0,93% cotado a 4,49
DI Jan/21: +2 bps cotado a 6,65%
S&P 500: -4,42% aos 2.978
por Guide Investimentos
■ Commodities  
Minério de ferro: Minério de ferro na China em forte baixa. Os contratos futuros mais líquidos do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian, na China, caíram -3,07%, cotados em 616,500 iuanes.
Petróleo WTI: -3,55%, a US$ 45,42 (barril).
Petróleo Brent: -2,84%, a US$ 50,70 (barril).

NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL4,49+0,00%
Euro vs BRL4,93-0,05%
Sterling vs BRL5,77-0,17%
Yen vs BRL0,04+0,85%