January 24, 2020

Mercado desta sexta feira

Os ativos de risco sobem na Europa, puxando os futuros dos índices acionários dos Estados Unidos, em parte pela decisão da Organização Mundial da Saúde de não declarar o surto de coronavírus na China como uma pandemia. O petróleo oscila e completa quatro dias seguidos de quedas, o dólar americano se fortalece ante seus pares e a volatilidade recua de leve – mostrando que o investidor ainda continua parcialmente receoso quanto à situação do chamado vírus de Wuhan.
A indignação cresce na China quanto à gestão da epidemia e o número de vítimas mortais e infectadas aumenta. Já a divulgação dos relatórios de gerentes de compras de janeiro, conhecidos como PMIs, deixa sensações mistas: o euro recua ante o dólar após o dado da União Europeia vir abaixo do consenso; já no Japão, Reino Unido e na Alemanha, os números foram bons. Ficamos à espera dos PMIs dos EUA.

O presidente do BC deve falar por volta das 09h30 em evento promovido pela XP Inc. Em palestra ontem, comentários de Campos Neto que sugerem que o investidor precisa olhar mais de perto para os dados de inflação subjacente, ou seja, aquela que tira eventos raros ou voláteis do cenário, tirou parte da pressão que as taxas de juros futuros carregavam desde cedo – quando foi divulgada prévia de inflação de janeiro que frustrou o consenso e jogou um balde de água fria nas expectativas de um corte na taxa básica Selic.
O DI para janeiro próximo fechou em alta de 2,5 pontos-base, após ter aberto 7 pontos de diferença durante o pregão. Assim, na XP, Campos Neto deve confirmar esse discurso e deixar claro que, hoje, mesmo com o câmbio pressionado e a aparição de mais choques de oferta – a inflação das proteínas, o coronavírus chinês, as tensões comerciais ou as questões socioambientais - o importante será olhar para os núcleos de inflação. Quando a gente analisa esses dados, o quadro não é tão preocupante, disse o trader e membro experiente do TC, Moises Beida.

Mesmo após a OMS evitar catalogar o vírus de Wuhan como uma emergência mundial de saúde, o governo chinês e autoridades regionais estenderam as restrições de movimentação em cidades onde a doença está se espalhando. Lembremos que os mercados da China continental e da Coreia do Sul permanecem fechados por conta do Feriado Lunar do Ano Novo; Hong Kong teve meio pregão. Nesta semana, os índices acionários chineses caíram mais de 3% e uma recuperação vai depender de como o governo vai lidar com a gestão da doença. O feriado chinês dura mais ou menos uma semana. 
Como o nosso editor Guillermo Parra-Bernal escreveu ontem na TC Mover, a indignação quanto à resposta do governo ao vírus está crescendo. Diferentemente da epidemia SARS que se espalhou no país entre 2002 e 2003, e que foi abafada, desta vez o governo do presidente Xi Jinping está tomando medidas sem precedentes para que o surto da doença não piore: foram restringidas, desde quarta-feira, as viagens de 40 milhões de pessoas durante o Ano Novo Lunar.
Fonte: TC Mover
NomePreçoVar(%)
US Dollar vs BRL4,17+0,07%
Euro vs BRL4,60-0,13%
Sterling vs BRL5,46-0,23%
Yen vs BRL0,04+0,01%