January 16, 2020

BNDES deixa de ser acionista da Light e mais destaques

Light (LIGT3): A Light, distribuidora de energia elétrica no Rio de Janeiro, comunicou ontem ao mercado que o BNDES vendeu todas as 19,1 milhões de ações ordinárias que possuía na empresa, deixando ser um acionista. Segundo a Light, a venda foi efetuada pelo BNDESPAR, entre 26 de dezembro do ano passado e 15 de janeiro deste ano.
Vale (VALE3): A Vale suspendeu operação da Mina Esperança, em Brumadinho, segundo informações do Valor. A mina, que era da Ferrous, comprada pela Valeem agosto, foi suspensa por falta de estabilidade da pilha de estéril e rejeito, segundo aponta a publicação.
Petrobras (PETR3)(PETR4): A Petrobras deu início à divulgação de oportunidade (teaser) para a venda da totalidade da sua participação em dois polos de campos na Bacia do Espírito Santo. Os dois polos, Golfinho e Camarupim, ficam em águas profundas do pós-sal. 
Minerva (BEEF3): O frigorífico Minerva Foods aprovou a emissão de uma oferta pública primária e secundária de 95 milhões de ações ordinárias, que serão vendidas na B3 e na NYSE. O valor da venda é estimado em R$ 1,36 bilhão.
Eletrobras (ELET3)(ELET6): A Eletrobras convocou assembleia em 17 de fevereiro para deliberar sobre aumento de capital de R$ 7,75 bilhões. O aumento de capital será mediante emissão de 201,79 milhões de ações ordinárias e 14,5 mil novas ações preferenciais classe B.
Triunfo (TPIS3): A Triunfo, concessionária de rodovias e aeroportos no Brasil, divulgou ontem alguns dados preliminares do quarto trimestre e do ano de 2019. Segundo a empresa, no ano passado trafegaram 143 milhões de veículos pagantes por suas quatro rodovias, uma expansão de 2,3% sobre os 139 milhões de veículos que circularam nas quatro rodovias em 2018. 
Vale (VALE3): O Bradesco BBI reafirmou sua recomendação outperform (desempenho acima de média) para os papéis da mineradora Vale e projeta que 2020 será “um ano de redenção” para a empresa. Os analistas fixaram um preço-alvo de US$ 21 (o equivalente a R$ 85,26) para o papel da Vale, que atualmente é cotado a US$ 12,97 (R$ 53,36).  
Taesa (TAEE11): O Itaú BBA retomou a cobertura dos papéis da distribuidora mineira de energia elétrica Taesa, subsidiária de Cemig. O Itaú BBA avaliou as ações da Taesa como “underperform”, com preço-alvo de R$ 30 para o papel ao final de 2020.
Cielo (CIEL3): O Bradesco BBI reduziu a recomendação para a Cielo de neutro para underperform (desempenho abaixo da média do mercado) e cortou o preço-alvo de R$ 7 para R$ 6,50, o que representa uma queda de 17% em relação ao fechamento da última quarta-feira.
Eunata (ENAT3): O Morgan Stanley reduziu a recomendação para Enauta de overweight para equalweight, pois a relação risco-recompensa parece equilibrada. O preço-alvo da ação subiu, de R$ 16,00 para R$ 16,50.
JBS (JBSS3): O Bradesco BBI elevou a recomendação para JBS de neutra para outperform (desempenho acima da média do mercado), elevando o preço-alvo de R$ 35 para R$ 37.