December 02, 2019

Giro pelo mercado


Mercados... Índices de mercado asiáticos iniciaram a semana com viés altista, com bolsas de Tóquio, Hong Kong e Shanghai acumulando ganhos na sessão. Os mercados europeus abriram mistos, sem grandes destaques, e o índice pan-europeu, STOXX 600, anda de lado até o momento. Nos EUA, os futuros de NY apresentam a mesma tendência positiva verificada durante os pregões asiáticos, ensaiando abertura favorável para bolsas de Wall Street, e o dólar (DXY) se mantém estável. 

Agenda cheia dita mercados... Mercados acionários internacionais iniciaram a semana em tom levemente positivo, após dados de atividade industrial na China terem superado expectativas no domingo. Em semana cheia de indicadores de atividade econômica, investidores devem seguir buscando novas pistas sobre a direção que caminha a economia mundial, ao mesmo tempo em que avaliam a probabilidade dos EUA e a China assinarem a fase 1 do acordo comercial ainda em 2019.

Sinais mistos... O Índice de Gerentes de Compra (PMI, na sigla em inglês) registrou alta no mês de novembro, atingindo o maior patamar desde 2017, com uma leitura de 51,8. Novembro configurou o 4º mês consecutivo de crescimento no setor manufatureiro do país, que mais tem sofrido deterioração com a manutenção das incertezas relacionadas à disputa comercial. Esse avanço reflete em parte a melhora de relação entre o gigante asiático e o governo americano desde meados de outubro, que resultou em um aumento da produtividade pela recuperação da demanda no período, além das medidas de estímulo que tem sido implementada pelo governo chinês.
Na ponta negativa, o termômetro de expectativas trazido pelo dado continuou recuando e já cai por 5 meses consecutivos, movimento que não deve se reverter até que haja sinais mais claros sobre o andamento das negociações comerciais entre China e EUA.

Atividade europeia... A IHS Markit, agência de estatísticas econômicas, publicou hoje a leitura final para o mês de novembro do Índice de Gerentes de Compra (PMI, na singla em inglês) para o setor manufatureiro. Ao contrário do que previam as expectativas de mercado, o índice catalogou um leve avanço. O dado repercuti os mais recentes desenvolvimentos positivos da zona do euro, que tem demonstrado uma arrefecida da desaceleração econômica.

■ Brasil

Presidente da CCJ do Senado comenta a agenda Econômica... A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), abordou, em entrevista concedida à Folha de S. Paulo, as perspectivas de aprovação do pacote econômico apresentado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, no início do mês passado. O entendimento da senadora é de extrema relevância, logo que o trâmite das três propostas pelo Congresso tem início na comissão presidida pela mesma. 

Emergencial é a mais sensível... Segundo Tebet, entre as três propostas de emenda à constituição (PEC) apresentadas, a que trata de extinção de fundos deve sofrer o menor nível de resistência. A senadora acredita que esta pode ser entregue à Câmara dos Deputados até fevereiro. Tebet prevê que as outras duas (emergencial e federativa) terão processo de aprovação mais árduo.
A senadora destacou a proposta de redução da jornada de trabalho dos servidores da emergencial como o maior de todos os empecilhos (na verdade, tanto a emergencial quanto a federativa sugerem tal alteração). Tebet também destacou a necessidade do governo de "entender e aceitar" que a retirada de excessos pelos parlamentares não é uma maneira de opor ao governo, e sim uma maneira de contribuir.

PEC do fim do foro privilegiado pode ser aprovada antes do recesso... O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pretende votar uma PEC que extingui o foro privilegiado para crimes comuns. A medida afetaria 55 mil figuras públicas, incluindo prefeitos, governadores, parlamentares e juízes. Os presidentes e vice-presidentes da República, Câmara, Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF) não seriam afetados. A proposta também não se aplicaria a crimes cometidos durante o mandato e no exercício do cargo, mantendo o regime jurídico especial nos casos de corrupção. O projeto foi aprovado pelo Senado e pelas comissões da Câmara, só resta a analise em dois turnos pelo plenário.

Bolsonaro promete não tabelar preços das carnes... No sábado passado (30), o presidente Jair Bolsonaro esclareceu que não pretende controlar o preço da carne bovina. "Não posso tabelar, inventar. Isso não vai dar certo", disse Bolsonaro. A declaração ocorreu em função do aumento repentino do custo do produto alimentício, que teve alta média de 22,9% no mercado atacadista em novembro. O presidente também comentou que acredita que "daqui a algum tempo" o preço da proteína deve diminuir.

Na agenda... Assim como acontece no cenário internacional, a agenda de indicadores deve ser protagonista na semana. Como grande destaque, o IBGE divulga o PIB do 3T19 na 3ªF, que deve mostrar um crescimento de 0,4% da economia brasileira no período, em rota para fechar o ano com um crescimento de 1,0%. Também nos próximos dias, investidores avaliarão os dados da balança comercial de novembro (2ªF), a produção industrial de outubro (4ªF), e as vendas de veículos de novembro (5ªF). Para fechar a semana, o IPCA de novembro deve acelerar para 0,4% de 0,1% em outubro, trazendo a inflação acumulada em 12 meses de volta a um patamar superior aos 3,0%.
Fonte: Guide Investimentos
■ Commodities  
Minério de ferro: A jornada que abriu o mês de dezembro foi mais uma vez marcada por uma importante valorização nos contratos futuros do minério de ferro, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de negócios, com data de entrega para janeiro do próximo ano, somou 1,16% a 653,00 iuanes por tonelada.