November 28, 2019

Mercado desta quinta feira

Nesta quinta-feira marcada pelo feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, as bolsas europeias puxam para baixo os futuros dos índices acionários americanos negociados no Velho Continente, refletindo a assinatura pelo presidente americano Donald Trump de uma lei que apoia explicitamente os protestos pró-democracia em Hong Kong, gerando forte resposta por parte da China. Há temor de que o impasse reduza as chances de um acordo comercial parcial entre os dois países antes de 15 de dezembro. 
A aversão global ao risco avança. No Brasil, a tensão política continua após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região elevar a condena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo caso Atibaia. A decisão sinaliza mais polarização política, deixa Lula inelegível e desafia à recente decisão do Supremo Tribunal Federal que permitiu a soltura do petista. No campo econômico, a polêmica do dia se centra na redesenho do cheque especial. Fique de olho nos dados das contas públicas do governo central, dos leilões de câmbio do Banco Central em meio a pressão altista no dólar na B3 e à possível divulgação do plano plurianual de negócios da Petrobras. Aqui o que há de mais relevante no pregão de hoje. 
Contratos dos futuros do Dow Jones e do S&P500 na região também caem, após a China ameaçar retaliar a decisão de Trump, embora Pequim tenha se reservado de dizer quando. A libra avança ante o dólar, após pesquisa mostrar que o Partido Conservador deve obter a maior vitória em uma eleição geral em 30 anos. Hoje, a Alemanha divulga dados de inflação ao consumidor e o Japão, taxa de desemprego, produção industrial e núcleo da inflação. O sentimento pesado no exterior, somado à liquidez mais restrita por conta do feriado americano, pode aumentar a pressão baixista nas divisas de países sul-americanos, disse Pedro Tuesta, da Continuum Economics. 
Ontem, os pesos chileno e colombiano, assim como o real brasileiro, fecharam em novas mínimas históricas ante o dólar americano e atingiram um recorde na esteira de persistente instabilidade política. No Chile, o plano do governo de restabelecer a ordem pública manca, enquanto a Colômbia vive o sétimo dia seguido de protestos. O petróleo cai pelo segundo dia após a produção dos EUA atingir recorde. 
Fontes disseram ao jornal O Globo que a Petrobras deve anunciar novo Plano Plurianual de Investimentos para o período 2020-2024 no montante de R$90 bilhões, o maior desde 2015. Segundo o jornal, a estatal deve aumentar as vendas de campos maduros e focar ainda mais sua atuação no pré-sal. O Canada Pension Plan Investment Board adquiriu 12,4% do capital da Smart Fit, por R$1,07 bilhão, de acordo com matérias da imprensa. 
O banco BMG está sendo testado após sua ação despencar 28% desde a oferta pública de ações do mês passado, pela reserva feita pelo banco para se blindar de derrotas em processos civis. A Petrobras desistiu da parceria focada em energias renováveis com a francesa Total. A GPA e a RD fecharam sociedade para a criação de uma empresa de fidelidade: batizada de Stix Fidelidade, a parceria deve começar a funcionar no segundo semestre de 2020 e terá uma plataforma de produtos e serviços para acúmulos de pontos.
Fonte: TC Mover