November 25, 2019

Giro no mercado



OI (OIBR3, OIBR4): informou por meio de fato relevante nesta sexta, 22, após o pregão que pretende propor ao seu conselho de administração a inclusão de plano de grupamento de ações na pauta de assembleia de acionistas de abril do próximo ano se o preço da ação não ficar acima de R$ 1 de forma consistente. 
“A companhia informa que, caso a cotação de suas ações não se enquadre de forma consistente em um patamar acima de R$ 1,00, após a implementação das próximas etapas previstas no plano estratégico já divulgado ao mercado, pretende propor ao Conselho de Administração da Companhia que, por ocasião da realização da Assembleia Geral Ordinária, a ser realizada em abril de 2020, seja incluído item na ordem do dia para tratar do grupamento de suas ações, na forma da regulamentação aplicável”, afirmou no comunicado.  
A ação ordinária (OIBR3) da Oi fechou nesta sexta cotada a R$ 0,97 (-3%). Já a ação preferencial (OIBR4) teve alta de 1,54%, cotada em R$ 1,32.  
A tele foi notificada pela B3, que pediu à Oi para divulgar procedimentos e cronograma que serão adotados para enquadrar a cotação das ações até 7 de maio do ano que vem ou até a data da primeira assembleia geral a partir do recebimento da notificação. 
Gerdau (GGBR43): O analista Caio Ribeiro, do Credit Suisse, afirmou que a Gerdau vai reajustar o preço de 8% a 12% para os produtos de aço longo no Brasil. Isso deve ocorrer a partir de janeiro, destacou. 
O novo reajuste ocorre após a alta de 7% nos preços para setembro, a qual a Gerdau conseguiu implementar perto de 3% com base em indicações de distribuidores de aço. 
Caio Ribeiro enfatizou que a siderúrgica também poderia tirar vantagem da recente recuperação das condições de demanda para o aço longo.
fonte:financenews