July 15, 2019

Giro no mercado com Alexandre Yokoyama

Resultado de imagem para mercado financeiro 



Mercados Globais

Os mercados asiáticos iniciaram a semana em tom positivo. As bolsas de Hong Kong e de Shanghai avançaram 0,3% e 0,4%, respectivamente. No Japão, não houve abertura do mercado para negociações, em função de feriado nacional. Na contramão, os principais índices de mercado operam com viés de baixa.
O DAX (Frankfurt) opera próxima a estabilidade. Em NY, onde investidores aguardam o início de mais uma temporada de resultados corporativos, futuros operam no verde, e o dólar (DXY) avança contra seus principais pares. Na frente das commodities, ativos se movimentam majoritariamente em terreno positivo. 
A ata da reunião de política monetária de junho do BCE apresentou um tom mais dovish do que Mario Draghi passou na coletiva de imprensa pós-reunião, e veio mais em linha com o discurso que o presidente do BCE deu em Sintra. O Produto Interno Bruto da China cresceu 6,2% no 2T19 em relação ao observado no mesmo período de 2018, de acordo com dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (15/07).
O dado veio em linha com as expectativas de mercado (Bloomberg), e abaixo do ritmo de expansão de 6,4% registrado no 1T19. O indicador mostrou o menor ritmo de expansão desde 1992 e, em meio à manutenção das tensões comerciais com os Estados Unidos, exerce uma pressão maior sobre os formuladores de política na sua busca por um acordo.
Em dia de agenda morna no exterior, o destaque será a divulgação do indicador Empire State de atividade industrial do Fed, às 9h30.

■ Panorama local

Na quarta-feira passada (10), o texto base foi aprovado com resultado (379-115) enfático para o governo. Nos dois próximos dias, o foco foram os destaques. Várias alterações foram votadas, mas só quatro foram aprovadas. 
Está pautada para esta segunda-feira, o fim da votação da nova lei de licitações. O projeto altera o processo de licitação em todas as esferas do governo (municipal, estadual e federal). Entre as mudanças estão: alterações nas modalidades de contratação, exigência de seguros para grandes obras e a criação de novos crimes relacionados ao assunto, entre várias outras. O projeto só será votado caso haja quórum na Câmara, uma meta difícil de alcançar na semana que o Congresso entra em recesso, após o termino do primeiro turno de votos da Previdência.
Hoje, o destaque na agenda doméstica será a divulgação do Índice de atividade do Banco Central (IBC-BC), às 8h30. A expectativa é que o dado interrompa uma sequência de quatro quedas, avançando 0,50% (Broadcast).
No exterior, mercados operam com cautela, ponderando dados fortes da China enquanto aguardam início da temporada de resultados nos EUA.
Aqui, o mercado deve mostrar alívio pela aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência, na 6ªF à noite, mesmo com a notícia de que votação em segundo turno da reforma da Previdência na Câmara deve ficar para depois do recesso, pois não se espera quórum suficiente na semana.

■ Commodities 

  • A jornada desta segunda-feira foi marcada por importante valorização para os contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian. O ativo teve alta de 2,34% a 895,00 iuanes por tonelada.
fonte: Reuters, Finance, Investing