Giro pelo mercado

O S&P futuro e as bolsas europeias operam com viés de baixa, sinalizando o retorno da cautela após o alívio com a guerra comercial que impulsionou as ações ontem. 
A Bolsa chinesa sobe com especulações de que China adotará novos estímulos após produção industrial e vendas no varejo crescerem menos que o previsto em abril. Hoje haverá uma enxurrada de divulgações de dados de atividade financeira e manufatureira nos EUA, que podem dar sinais sobre a situação da maior economia do mundo e gerar um aumento ou queda de apostas entre os investidores sobre o rumo da taxa de juros norte-americanas. 

Moedas vistas como porto seguro, como iene e franco suíço, sobem, enquanto moedas de países emergentes caem. Minério de ferro sobe com recorde da produção de aço pela China. Petróleo recua com alta de estoques. Metais sobem em Londres com otimismo de que EUA e China chegarão a um acordo no G-20.

Em recado ao governo Bolsonaro, a Câmara decidiu não apreciar nenhuma MP nesta semana, reagindo à obstrução do PSL na tentativa de votação da MP 870 (reforma administrativa). Com isso, a MP 863 (abertura do setor aéreo ao capital estrangeiro) deverá perder a validade e as demais MPs perderão a validade em 3 de junho, mas ainda será possível votá-las na semana que vem, se houver acordo. Nesta terça-feira, a Comissão Mista de Orçamento ouviu o ministro Paulo Guedes sobre a necessidade de aprovação de projeto de crédito suplementar de modo a não violar a regra de ouro. 

A Comissão Especial da reforma da previdência realizou nova audiência pública para discussão da proposta. A Comissão Especial do orçamento impositivo realizou a sua primeira reunião; o projeto deve ir a plenário nas próximas semanas..

.