O novo ano começa nesta quarta-feira para o mercado financeiro global e muitas são as incertezas sobre o que reserva o último ano desta década


O novo ano começa nesta quarta-feira para o mercado financeiro global e muitas são as incertezas sobre o que reserva o último ano desta década. Ao que tudo indica, 2018 chegou ao fim com várias dúvidas em aberto, que turvam o cenário econômico para 2019, em meio a tantas inovações no modus operandi da economia mundial.
E o problema é que se inventou tanto, que os investidores (e países) não estão preparados para o que pode acontecer nos próximos 365 dias… Assim, as preocupações que abalaram os negócios em dezembro foram transferidas também para janeiro, com os investidores sem saber para onde a economia global está caminhando.
O principal receio é de que os Estados Unidos continuem inovando nas relações comerciais, com impacto no crescimento das principais economias do mundo. Ao mesmo tempo, o presidente Donald Trump inova no vínculo entre a Casa Branca e o Federal Reserve, com as críticas na condução da política monetária colocando em risco a independência do Banco Central norte-americano.
Sob o lema “America First”, a maneira pouco convencional - inovadora? - de Trump governar colocou em xeque as principais instituições e acordos que surgiram desde o fim da Segunda Guerra Mundial, tanto na esfera doméstica quanto internacional, e ainda não se sabe as implicações desse discurso nacionalista na globalização - nem em termos geopolíticos.
Sem sinais de trégua, a forma como o presidente dos EUA irá concluir o mandato, com vistas à reeleição em 2020, segue como um elemento de disrupção ao mercado financeiro. Por ora, a percepção é de que a estratégia de Trump com a China não está funcionando, mostrando-se até prejudicial aos interesses dos EUA e ineficaz no objetivo de desmantelar o rival.Fonte: advfn
Recomendações do dia
Odontoprev (ODPV3): A equipe da Safra Corretora elevou a recomendação da Odontoprev para outperform, com preço-alvo de R$ 15,40.

BB Investimentos: A equipe do BB Investimentos substituiu os papéis da Equatorial (EQTL3) e da Natura (NATU3) pelos ativos da Petrobras (PETR4) e Movida (MOVI3) em sua carteira Top 5. Os ativos do Bradesco, Ultrapar e Vale foram mantidos.

.