Giro pelo mercado nesta sexta feira

Sim é sexta feira e parece que vamos começar este ano realmente no dia 07 , então vamos curtir o sol desta sexta feira de 40 graus e se preparar para segunda feira.
Bom fim de semana a todos! 

O novo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, criticou a existência de monopólios e defendeu menor intromissão do Estado na economia ao tomar posse, nesta quinta-feira (3), em cerimônia no Rio.
Na cerimônia de posse, Castello Branco recebeu o crachá de presidente da estatal das mãos da presidente interina e diretora de Exploração e Produção da Petrobras, Solange Guedes.
Em entrevista após a cerimônia de posse, Castello Branco se esquivou de responder perguntas sobre privatizações de ativos da Petrobras, mas adiantou que há estudos a respeito.
“Não posso adiantar nada, até porque a Petrobras é uma companhia de capital aberto e seria leviano da minha parte falar qualquer coisa sem estar respaldado. Vamos analisar os ativos para então fazer o que está consistente com o desenvolvimento da empresa", disse.fonte:G1

Mais um pregão, mais um recorde. O mercado financeiro brasileiro segue em lua de mel com o novo governo, o que levou a Bolsa brasileira a uma nova pontuação histórica ontem, enquanto o real se valorizou mais um pouco, com o dólar já na faixa de R$ 3,75. O movimento foi novamente na contramão dos negócios no exterior, onde prosseguem os temores em relação à desaceleração econômica global.


Já nesta sexta-feira o mercado doméstico não deve ficar tão imune ao cenário internacional, uma vez que serão conhecidos dados sobre o emprego nos Estados Unidos (11h30). Também é grande a expectativa lá fora pela fala do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, em um painel econômico (13h15). Mas o que deve agitar os negócios aqui é a primeira entrevista do presidente Jair Bolsonaro após a posse.
O presidente sinalizou que pretende uma reforma da Previdência mais leve, com a idade mínima para aposentadoria ficando em 62 anos para os homens e 57 anos para as mulheres. Além disso, Bolsonaro afirmou que a proposta será aplicada de maneira gradativa, de modo a “não fazer maldade com o povo”. Segundo ele, a idade mínima de 65 anos fica “pesada” para algumas profissões.
Com isso, haverá diferenciações nas regras para aposentadoria, com a reforma não sendo “a mesma para todo mundo”. Para Bolsonaro, só assim a proposta tem chances de passar na Câmara e no Senado, pois a “boa reforma” não é aquela que está “na cabeça” do presidente ou da equipe econômica.

.