Fato Relevante - Alienação de Ativos na Colômbia

ÓLEO E GÁS PARTICIPAÇÕES S.A. - Em Recuperação Judicial
CNPJ/MF: 07.957.093/0001-96
Companhia Aberta - BOVESPA: OGXP3
OGX PETRÓLEO E GÁS S.A. - Em Recuperação Judicial
CNPJ/MF: 08.926.302/0001-05
Companhia Aberta - BOVESPA: OGSA3
Fato Relevante
Alienação de Ativos na Colômbia -

Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2014 - A Óleo e Gás Participações S.A. - Em Recuperação Judicial ("OGpar") (Bovespa: OGXP3; OTC: OGXPY.PK) e OGX Petróleo e Gás S.A. - Em Recuperação Judicial ("OGX") (Bovespa: OGSA3), em cumprimento ao Artigo 157, parágrafo 4º da Lei nº. 6.404/76 e da Instrução CVM nº. 358/02 e em complemento aos Fatos Relevantes divulgados em 25 de abril e 11 de julho de 2014, informa que concluiu a venda de: 100% dos blocos localizados nas bacias do Vale Inferior Magdalena ("VIM-5" e "VIM-19) e de 100% dos direitos econômicos dos blocos localizados nas bacias de Cesar Rancheria ("CR-2", "CR-3" e "CR-4"), conforme comunicado emitido pela Agência Nacional de Hidrocarburos ("ANH") aprovando oficialmente as referidas operações. Com relação aos blocos CR-2, CR-3 e CR-4, a OGX permanecerá provisoriamente como operadora dos blocos. A referida operação está formalmente aprovada pela  ANH (autoridade regulatório colombiana correspondente à ANP).
 A operação de venda dos blocos VIM-5 e VIM-19 prevê: o pagamento à OGX de (i) cerca de US$ 30 milhões e (ii) royalties de 3% da receita gerada pela venda de hidrocarbonetos nos referidos blocos; a liberação da Companhia com relação às obrigações regulatórias (no valor aproximado de US$ 75 milhões); bem como a restituição de cerca de US$ 7,7 milhões que haviam sido depositados como contra garantia à cartas de crédito requeridas pela ANH.
 A venda dos blocos CR-2, CR-3 e CR-4 prevê transferência inicial de 70% da participação nos blocos para o comprador, permanecendo a OGX provisoriamente como operadora e detentora de 30% do ativo, assim como igualmente libera a Companhia de obrigações regulatórias já vencidas em processo de cobrança pela ANH no valor aproximado de US$ 72 milhões, bem como proporciona a restituição de cerca de US$ 6,3 milhões que haviam sido depositados como contra garantia à cartas de crédito requeridas pela ANH.
 Os termos e condições das operações acima mencionadas estão alinhados ao Plano de Recuperação Judicial e ao processo de reestruturação da Companhia, desoneram a Companhia dos custos exploratórios obrigatórios e de contingências regulatórias, bem como proporcionam a geração de caixa no curto prazo de maneira a ampliar a liquidez da Companhia.

.