Velocidade está no DNA de modelo da Jaguar


Exclusivo para assinantesPara ler a matéria completa faça seu login ou cadastre-se
Os olhos dos aficionados por performance se voltaram para os domínios da Inglaterra nos últimos dias. Foi lá onde esteve armado o circo para o Grande Prêmio de Fórmula 1 do domingo passado e, cerca de uma semana antes, foi por aquelas imediações que ocorreu o tradicional Festival de Velocidade de Goodwood, encontro que reúne os "mais-mais" da rapidez e do exibicionismo do universo automotivo.
Entre tantas beldades formosas e ágeis que por ali desfilaram e ganharam a mídia do mundo, pelo menos uma vai fazer os corações dos brasileiros baterem mais forte também por aqui. Trata-se do Jaguar F-Type Project 7, protótipo que entrará em linha de produção em breve e será vendido a partir de 2015, inclusive no Brasil.
O "roadster" (conversível de dois lugares) já nasce como ícone, cercado de histórias, referências e inovações. O F-Type Project 7 foi desenvolvido para a comemoração do 60º aniversário do D-Type, detentor de três das sete vitórias da 24 Horas de Le Mans, entre 1955 e 1957. A velocidade, portanto, está em seu DNA. Produzido de alumínio, é o veículo de performance mais poderoso da Jaguar. E não se pode diz que é apenas por ser leve. O mérito principal é do motor 5.0 V8 de 575 cavalos de potência, que, acoplado a uma transmissão automática de oito velocidades, acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos e chega a atingir 300km/h - velocidade limitada eletronicamente.
Para aguentar o tranco adicional, foram instaladas barras estabilizadoras e juntas da suspensão dianteira mais portentosa. Para quem aprecia um pouco mais do vocabulário mecânico, o modelo oferece a chamada vetorização de torque, que, em conjunto com o sistema de diferencial eletrônico, proporciona uma direção mais sensível e ágil. Como prova subliminar de suas intenções, o carro vem com sistema de freios de cerâmica e carbono, proporcionando ao motorista freadas potentes e consistentes para um veículo superesportivo.
O shape do bólido denuncia o foco na aerodinâmica. Traz saias laterais, difusor e aerofólio traseiro, todos itens produzidos em fibra de carbono, material nobre e altamente tecnológico. Até os bancos são inspirados nos carros de corrida, dispondo de cintos de segurança de quatro pontos.
Este primeiro lançamento da equipe de Operações Especiais da Jaguar Land Rover tem suas peculiaridades. Serão produzidas apenas 250 unidades do carro, em processo quase artesanal. Cada unidade trará uma placa numerada localizada entre os dois bancos e assinada pelo chefe de design da Jaguar, Ian Callum. O Project 7 será vendido em cinco diferentes cores de carroceria: azul, vermelho, verde, preto e branco. O preço ainda não foi divulgado. A se julgar exclusividade e requinte, será para poucos.

.