Grupo português dá calote e põe à venda ativos no Brasil

Exclusivo para assinantesPara ler a matéria completa faça seu login ou cadastre-se
O Grupo Espírito Santo (GES) colocou boa parte dos ativos não financeiros no Brasil à venda, diante da necessidade de levantar recursos para quitar compromissos com credores. Entre eles está a Portugal Telecom, em processo de fusão com a Oi e que tinha € 847 milhões a receber ontem da RioForte, uma das empresas da cadeia de controle do grupo. A informação foi confirmada por duas fontes próximas ao conglomerado.
A Rioforte não saldou a dívida com a Portugal Telecom. Os sócios brasileiros da Oi já estão negociando a redução da participação da operadora portuguesa na CorpCo, empresa que nascerá da fusão entre Oi e PT, mas há o temor de que os acionistas portugueses vetem a operação caso sua participação diminua muito. Para ajustar a relação de troca na fusão, a PT pode dar em garantia suas próprias ações e, à medida que a Rioforte pagar o que lhe deve, ela retomaria a participação na CorpCo.

Segundo uma fonte, diante da necessidade de saldar a dívida não há alternativa a não ser vender ativos. "Vão-se os anéis, mas ficam os dedos. Ou podem ir os dedos, desde que fique o braço".Entre os ativos mais valiosos da Rioforte está a participação de 11% no grupo Monteiro Aranha, mas não há ainda um processo formal de venda. Há conversas para empreendimentos agrícolas. O banco de investimento será preservado.

Levantamento feito pelo Valor identificou ativos avaliados em pouco mais de € 290 milhões, ou quase R$ 900 milhões, que poderiam ser vendidos.
A participação da Rioforte no Monteiro Aranha, por exemplo, pode ser estimada em algo como € 75 milhões, pelo câmbio atual, ainda que parte dessas ações tenha sido dada em garantia ao Bradesco por um empréstimo de R$ 50 milhões. Já a fatia na Energias Renováveis do Brasil valeria € 43 milhões, enquanto uma fazenda no interior paulista renderia € 67 milhões.

.