OGX não produz petróleo

HRT_Header_27072012_VF
FATO RELEVANTE
RESULTADOS DO POÇO MOOSEHEAD-1
NO OFFSHORE DA NAMÍBIA
Rio de Janeiro, 09 de setembro de 2013 - HRT Participações em Petróleo S.A. (a "Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP) anuncia que o poço Moosehead-1 (2713/16-1) ("Moosehead-1"), o terceiro poço offshore de nossa campanha exploratória foi considerado seco. O objetivo deste poço era testar o Prospecto Moosedhead, localizado na Petroleum Exploration License 24 ("PEL-24"), na Bacia de Orange, nooffshore da República da Namíbia.
hrt_0909_pt
O objetivo principal do poço Moosehead-1 era testar o potencial para óleo de reservatórios carbonáticos de idade Barremiana, considerados equivalentes aos reservatórios do pré-sal do Brasil e de Angola, em um fechamento de estrutura dômica de 546 km2, mapeado em dados 3D PSDM. Foi realizada uma avaliação abrangente da formação para confirmar a natureza e a qualidade do reservatório carbonático e dos intervalos de rocha geradora, incluindo a realização de perfilagem a cabo e coleta de amostras laterais. 
O poço Moosehead-1 encontrou aproximadamente 100 metros de carbonatos no objetivo principal. A natureza do reservatório, embora seja necessária uma análise aprofundada do dado coletado, apresenta-se similar a dos reservatórios do pré-sal conforme se antecipava. No entanto, a porosidade estava menos desenvolvida do que o esperado nesta locação e o poço está sendo considerado como seco. Indícios de gás úmido foram encontrados na seção e aumentaram com a profundidade. Pelo menos duas potenciais rochas geradoras foram penetradas, incluindo a geradora Aptiana bem desenvolvida. Indicações de rochas geradoras na seção rifte mais profunda também estavam aparentes, embora não tenham sido penetradas. Maiores análises da amostragem do poço irão contribuir imensamente com a continuidade da exploração nos blocos da HRT na Namíbia. 
O poço Moosehead-1 situa-se em lâmina d'água de 1.716 metros e foi perfurado a uma profundidade total de 4.170 metros. O poço foi perfurado, perfilado a cabo e P&A (Plugged and Abandoned), em um total de 47 dias, pela sonda semissubmersível Transocean Marianas (NYSE:RIG). O desempenho operacional e de segurança foram excelentes. Com isso, a HRT completa sua campanha exploratória na Namíbia e a Transocean Marianas está disponível para sublocação. 
A HRT é a operadora de 10 blocos offshore na Namíbia, incluídos em quatro Licenças de Exploração de Petróleo. A GALP Energia (NYSE Euronext Lisboa: GALP), com 14% de participação, é a parceira da HRT na perfuração dos 3 primeiros poços da atual campanha de exploração. 
"O poço Moosehead conclui a primeira campanha de perfuração da HRT na Namíbia com informações geológicas muito importantes, mesmo sem ocorrência de zonas de interesse nesse poço. O momento agora é para a realização de análises completas dos resultados obtidos nos nossos três poços e ativos na Namíbia para que novos planos sejam traçados para 2014 e 2015. Concluímos essa campanha com o entendimento de que ambas as bacias de Orange e de Walvis, testadas pela perfuração, são bacias produtoras de óleo e gás, que novos esforços exploratórios trarão descobertas comerciais de hidrocarbonetos e que a HRT fará parte do futuro da exploração na Namíbia", destacou Milton Franke, CEO da HRT.
Clique aqui para o Fato Relevante.
Para informações adicionais, entre em contato com a Área de Relações com Investidores da HRT.
Sobre a HRTO Grupo HRT é composto por uma das maiores empresas independentes de exploração e produção de óleo e gás natural do Brasil. A HRT Participações possui oito principais subsidiárias: a IPEX (Integrated Petroleum Expertise Company Serviços em Petróleo Ltda.), a HRT O&G Exploração e Produção de Petróleo Ltda., a HRT Netherlands B.V., a HRT África Petróleo S.A., a HRT América Inc. e a HRT Canada Inc.. A Companhia detém 55% de participação em 19 blocos exploratórios localizados na Bacia do Solimões. A HRT também é operadora de dez blocos exploratórios na costa da Namíbia: oito blocos na Sub-Bacia de Orange e dois blocos na Sub-Bacia de Walvis. A HRT possui uma equipe composta por doutores e mestres em geologia, geoquímica, geofísica, biologia e engenharia, sendo a maioria deles ex-funcionários da Petrobras e da ANP. A HRT está comprometida em minimizar os possíveis impactos ambientais nos locais onde atua. O compromisso com as comunidades locais passa pela redução dos impactos das operações nas condições de saúde, segurança e qualidade de vida. Para mais informações acesse o site: www.hrt.com.br/ri.

.