Dólar sobe 0,67% alta ante real, em busca de equilíbrio


Dólar operava em alta ante o real nesta segunda-feira, tentado buscar um ponto de equilíbrio após cair mais de 3%

Scott Eells/Bloomberg
Dinheiro: pilhas de notas de dólar
Dólar: às 11h34, a moeda norte-americanaavançava 0,67%, a R$2.3692  na venda, depois de cair 3,2%, para R$2,3534, na última sessão
São Paulo - Em dia de sobe e desce, o dólar operava em alta ante o real nesta segunda-feira, tentado buscar um ponto de equilíbrio após cair mais de 3 por cento na véspera e o BC realizar o primeiro leilão de swap tradicional do seu programa de intervenções diárias no início deste pregão.
Às 11h34, o dólar avançava 0,67 por cento, a 2.3692 reais na venda, depois de cair 3,2 por cento, para 2,3534 reais, na última sessão - a maior queda diária em quase dois anos. O volume de negociação estava em pouco mais de 140 milhões de dólares, segundo dados da BM&F.
"Até o câmbio achar um ponto de equilíbrio, vai ser difícil traçar qualquer tipo de projeção para o dólar", afirmou o operador de câmbio da Intercam Glauber Romano, para quem esse ponto deve estar entre 2,30 e 2,38 reais.
Mais cedo, o BC vendeu sua oferta total de contratos de swap cambial tradicional --equivalente a venda de dólares no mercado futuro-- com vencimento para 2 de dezembro de 2013. O volume financeiro foi equivalente foi de 497,9 milhões de dólares.
A operação faz parte do plano do BC, anunciado na quinta-feira à noite, de intervenções diárias no mercado de câmbio até o final do ano, por meio da venda de swap cambial tradicional e de leilões de linha, com venda de dólares com compromisso de recompra.
O potencial total do programa é de 60 bilhões de dólares e seu objetivo, de acordo com a autoridade monetária, é "prover hedge cambial aos agentes econômicos e liquidez ao mercado".
Já na sexta-feira, comparado com o dia anterior, os investidores reduziram em 22,5 por cento sua posição líquida comprada em dólar no mercado futuro, para 97.421 mil contratos, equivalente a 4,87 bilhões de dólares, segundo o último dado disponível pela BM&F.
"O mercado está se sentindo confortável", disse o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo. "O BC está garantindo liquidez e, além disso, está dizendo que, eventualmente, se for preciso, vai entrar com outros leilões para suprir as necessidade do mercado", explicou.
No início desta sessão, o dólar abriu em alta ante o real, mas passou a cair por cerca de 30 minutos, após a divulgação o dado de encomendas de bens duráveis dos Estados Unidos ter vindo bem abaixo do esperado, realimentando as expectativas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, manterá seu programa de estímulos, no valor mensal de 85 bilhões de dólares no curto prazo.
"Se a economia norte-americana não engata, significa que sua política monetária continuará expansionista", afirmou o economista chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.
O movimento de alta do dólar, no entato, perdeu fôlego com os investidores ainda testando o ponto de equilíbrio da moeda norte-americana ante o real.

.