BNDES nega que facilitou pagamentos de dívidas de Eike


Em nota, banco afirma que tratamento dado ao Grupo EBX é o mesmo de qualquer empresa

RUI PORTO FILHO
Eike Batista entre Dilma Rousseff e Sérgio Cabral, governador do Rio de Janeiro, participando da extração do primeiro óleo da sua empresa OGX
Eike Batista, em cerimônia na OGX: empresário não recebeu tratamento privilegiado, diz BNDES
São Paulo – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) negou, nesta tarde, que tenha facilitado o pagamento de empréstimos de empresas de Eike Batista. Trata-se de uma resposta à reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo, que afirma que o banco prorrogou prazos de pagamento do Grupo EBX, incluindo parcelas que já deveriam ser quitadas.
Em nota à imprensa, o BNDES afirmou que “o tratamento dispensado pelo banco ao grupo EBX é rigorosamente igual ao dado a qualquer empresa tomadora de crédito no BNDES.”
A instituição afirmou, ainda, que a estruturação de garantias para aprovar os empréstimos foi feita “com o rigor usual” que o banco aplica “em todas as suas operações, obedecendo às melhores práticas bancárias.”
O BNDES também negou que tenha negociado taxas de juros mais vantajosas para Eike. Segundo a nota, a taxa de 4,5% ao ano, mencionada na reportagem do Estadão, era a que vigorava na época em que os acordos foram fechados pelo Programa de Sustentação do Investimento.

.