Poupança atinge recorde histórico


A poupança, definitivamente, deixou para trás a fama de ser o pior investimento do mercado financeiro brasileiro. Nunca, em período tão curto, os aplicadores deram tanta preferência para a tradicional alternativa.

Em maio deste ano o governo anunciou mudanças na fórmula para calcular a remuneração das contas de poupança. Após quatro meses, em agosto, a captação líquida atingiu R$ 23,1 bilhões. O montante é quase 30% maior do que o antigo recorde, que foi estabelecido nos quatro meses encerrados em dezembro de 2009.
O gráfico abaixo ilustra como foi a evolução histórica da captação líquida da caderneta de poupança, de acordo com os dados do Banco Central. Cada ponto no gráfico representa o montante captado ou resgatado nos quatro meses anteriores.
Todos os períodos em que a captação líquida foi mais expressiva, com a exceção de agosto de 2002, englobaram os últimos meses do ano. É nessa época que a maioria das pessoas recebe pagamentos adicionais, tais como o 13º salário, bônus ou remunerações decorrentes de trabalhos temporários. Parte desses recursos acaba sendo direcionada para a poupança.
A expressiva captação ocorrida nos quatro meses encerrados em agosto de 2002 é justificada pela fase conhecida como a crise da marcação a mercado. Na época, aplicadores assustados com a oscilação das cotas dos fundos de investimento conservadores abandonaram as carteiras para buscar refúgio na caderneta de poupança.
Estabilizada a economia e debelado o risco da inflação, o governo tinha um desafio para viabilizar a queda da taxa Selic para patamar inferior a 8,5% ao ano. Considerando os custos do Imposto de Renda, a remuneração fixa de 0,5% ao mês para a poupança, equivalente a 6,17% ao ano, impunha, na prática, um limite para a taxa básica de juros.
Foi preciso agir para equilibrar a necessidade de eliminar a remuneração fixa da poupança com o desgaste político de patrocinar alterações na mais popular aplicação financeira do mercado. No fim, os investidores parecem ter aprovado a solução adotada.

.