usar o pré-sal para compensar a Petrobras pelas variações na cotação do petróleo.

Pressionado após baixar o preço do diesel, o governo avançou na ideia de rever os reajustes diários no valor da gasolina e já estuda formas de como fazê-lo. Uma das possibilidades é usar o pré-sal para compensar a Petrobras pelas variações na cotação do petróleo.

O Ministério de Minas e Energia propõe acelerar o contrato da cessão onerosa (acordo que deu à Petrobras o direito de explorar cinco bilhões de barris na Bacia de Campos). E, na sequência, leiloar o petróleo excedente nesses campos. A pasta estima obter R$ 80 bilhões — dinheiro que seria usado para segurar o preço da gasolina.

Só que o Ministério da Fazenda resiste à ideia e sugere, como solução, que os prazos do reajuste do combustível apenas sejam estendidos. A prática já é utilizada com o gás de cozinha (a cada três meses) e, após a greve dos caminhoneiros, com o diesel (todo mês).

De consenso no governo, apenas a estratégia de manter o presidente Michel Temer afastado da discussão. O Palácio do Planalto não quer passar a impressão de que atua para interferir na política de preços da Petrobras.

Comentários

.