Em recuperação judicial, sem acesso a financiamentos e com menos contratos, a OAS firma parcerias com empresas chinesas para sobreviver.

OAS: Em recuperação judicial, sem acesso a financiamentos e com menos contratos, a OAS firma parcerias com empresas chinesas para sobreviver, eu realmente não estou com pena nenhuma , tomaram tudo que podiam do nosso bolso.

Passada a animação dos mercados domésticos com a condenação do ex-presidente Lula, os investidores devem deslocar o foco para o que vem por aí, já que o primeiro mês de 2018 entra na reta final e a euforia pós-placar no TRF-4 deve dar sinais de fadiga nesta segunda-feira. O cenário político deve seguir no radar dos negócios, em meio à expectativa pelo fim do recesso legislativo e à espera das próximas pesquisas eleitorais, já que o líder petista deve ficar de fora da corrida presidencial de outubro.

Essa perspectiva resultou em ganhos expressivos nos ativos brasileiros, diante da percepção de que Lula seria menos responsável com as políticas de ajuste fiscal. O movimento local foi alimentado pelo apetite do investidor estrangeiro e está sintonizado com o desempenho dos mercados internacionais, que estão animados com a retomada econômica global e com os resultados das empresas. Há poucos dias para o fim do mês, porém, os negócios lá fora buscam uma acomodação, sustentando a valorização acumulada no período, o que deve respingar na performance local.

Lá fora, o foco dos investidores está voltado aos balanços e aos indicadores econômicos, após a retórica protecionista do governo Trump e de posições conflitantes na Casa Branca sobre o dólar na semana passada. Por ora, os investidores avaliam as perspectivas de aceleração da inflação nos países desenvolvidos e uma melhora no ritmo do crescimento econômico global neste ano.

.