Aviso aos Acionistas

Aviso aos Acionistas
Telefônica Brasil (VIVT3) / Juros sobre Capital Próprio – A Telefônica Brasil dará inicio nesta quarta-feira (13) ao pagamento de seus Juros Sobre Capital Próprio referentes ao exercício de 2017. O montante bruto será de R$ 305 milhões, com retenção de imposto de renda na fonte, à alíquota de 15%, resultando no montante líquido de R$ 259 milhões. O valor terá como base o lucro líquido apresentado pela empresa no balanço do segundo trimestre de 2017. O valor corresponde a R$ 0,16 por ação ordinária e R$ 0,18 por ação preferencial, 10% maior que o atribuído a cada ação ordinária.

Alpargatas (ALPA3) / Juros sobre Capital Próprio – Nesta quarta-feira (13), a Alpargatas iniciará o pagamento de seus Juros sobre Capital Próprio (JCP), com retenção de Imposto de Renda na fonte, para pessoas físicas e jurídicas. O benefício pago pela empresa contempla todas as 470.449.777 ações escriturais emitidas em que se divide o capital social. O montante bruto será de até R$ 38.200 milhões, sendo R$ 0,07 por ação ordinária e R$ 0,08 por ação preferencial. Farão jus ao recebimento dos juros os acionistas inscritos em 17 de novembro de 2017. O pagamento será efetuado pelo Banco Itaú S.A.. Esse valor será imputado ao dividendo anual obrigatório que vier a ser aprovado na Assembléia Geral Ordinária de 2018.

Hering (HGTX3) / Juros sobre Capital Próprio – A Hering irá distribuir nesta quarta-feira (13) um montante de R$ 41 milhões, pagos sobre a forma de Juros sobre Capital Próprio. O valor equivale a R$ 0,25 por ação. A Hering informa que haverá retenção do imposto de renda na fonte de acordo com a legislação vigente, exceto para os acionistas dispensados da referida tributação. O pagamento será efetuado utilizando como data base de cálculo a posição acionária de 29 de novembro de 2017. Os valores de JCP serão imputados aos dividendos obrigatórios relativos ao exercício social que se encerrará em 31 de dezembro de 2017.
Brasil e o Mundo
Mercosul / União Européia - A assinatura do acordo entre a União Europeia e o Mercado Comum do Sul (Mercosul), que vem sendo negociado ha quase 20 anos, foi adiada, nesta terça-feira (12), para o início do próximo ano. Ate ontem, a ideia dos dois blocos era anunciá-lo em Buenos Aires, no encerramento da 11ª Conferencia Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), na quarta-feira (13) ou, no mais tardar, no dia 21 de dezembro, em Brasília.

Lula / Julgamento - O julgamento do recurso apresentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do triplex em Guarujá será realizado às 8h30 do dia 24 de janeiro de 2018, na sede do Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4).

Reforma da Previdência / Michel Temer - O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (12) que o governo vai aguardar até a próxima semana para reunir os 308 votos necessários na Câmara dos Deputados para aprovar a reforma da Previdência. Caso o governo perceba que não chegou ao número, a data da votação será definida em fevereiro, segundo o presidente.
Destaques do Dia
O Governo continua a saga da reforma da Previdência e a expectativa é que amanhã ocorra uma recontagem dos votos, assim eles saberão se existe a possibilidade de colocar a matéria em votação na Câmara dos Deputados e aprová-la, em dois turnos, ainda neste ano. Até isso acontecer, os mercados domésticos devem operar em compasso de “espere e veja”.

Cientes de que é baixa a probabilidade de o governo conseguir os 308 votos e passar a reforma da Previdência para o Senado antes do fim de 2017, os mercados domésticos devem direcionar o radar para outros temas e o cenário eleitoral para 2018 tende a concentrar as atenções ao longo dos próximos meses.

Os negócios locais ganharam um fôlego extra na reta final do pregão ontem, diante da notícia de que o julgamento de Luiz Inácio Lula da Silva em segunda instância no caso do tríplex já tem data para acontecer. Em 24 de janeiro de 2018, o ex-presidente pode ser tornar inelegível no processo que tem tramitado em tempo recorde no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre.

Ainda assim, os investidores não jogaram a toalha e aguardam a decisão do PSDB sobre o apoio às regras para aposentar.
Empresas
Sanepar (SAPR11) / Units - As units da Sanepar foram precificadas a R$ 55,20 na oferta secundária restrita promovida pelo Governo do Estado do Paraná e Copel, mostra um comunicado distribuído na noite desta terça-feira (12). O valor mínimo estipulado era de R$ 50.

Camil (CAML3) / Recompra de ações - A Camil aprovou na noite da última terça-feira (12) o programa de recompra de até 5,821 milhões de ações de sua emissão, mostra o comunicado enviado à CVM.

Estácio (ESTC3) / Unidades - A Estácio vai fechar unidades nas cidades de Juiz de Fora (MG) e Salvador (BA). Os alunos serão transferidos para campi próximos, cerca de 1,5 quilômetro de distância, no primeiro semestre do próximo ano. “Como parte de sua estratégia de busca pelo crescimento sustentável, a Estácio decidiu transferir os cursos dos campi Zona Norte, em Juiz de Fora (MG), e Costa Azul, em Salvador (BA), para unidades próximas”, informou comunicado da companhia carioca.

IRB Brasil (IRBR3) / Opção de Venda - O IRB (IRBR3) anunciou nesta quarta-feira (13) sua opção de venda (put option) da totalidade das ações de emissão da Africa Re detidas pela Companhia desde 17 de maio de 2012, informa um comunicado enviado à CVM.

OI (OIBR4) / Credores - A última segunda-feira, 11, foi um dia de reuniões da direção da Oi com a maior parte de seus credores, que detêm R$ 22 bilhões em dívidas. A última delas, selou em 20 minutos o acordo para um novo plano de recuperação da companhia, às 23h30.

Petrobras (PETR4) / IPO - Com demanda já garantida para a oferta, o IPO da BR Distribuidora poderá render até R$ 7,5 bilhões ao caixa de sua controladora, a Petrobrás. O IPO da BR deve marcar a maior oferta inicial de ações na Bolsa brasileira desde 2013, quando a operação da BB Seguridade superou R$ 11 bilhões.

Fibria (FIBR3) / Contratos - A Fibria irá receber R$ 700 milhões como resultado de um Contrato de Pré-Pagamento de Exportação, mostra um comunicado enviado à CVM nesta quarta-feira (13).

Cosan (CSAN3) / Aquisição - A Cosan informou na noite desta terça-feira (12), que concluiu a aquisição da participação da Shell na Comgás. A empresa ainda afirmou que a sua administração iniciou alguns estudos para uma possível reorganização envolvendo a Comgás. A Cosan passou a deter 79,9% do capital social da companhia.

B3 (BVMF) / Mudança de Ticker - A B3 informou que a partir do dia 18 de dezembro, seu nome de pregão passará a ser apenas B3, em substituição ao BMFBOVESPA, e a partir do dia 26 de março, o ticker da empresa passará a ser B3SA3, substituindo o atual BVMF3.

Raia Drogasil (RADL3) / Juros sobre Capital - A Raia Drogasil informou que o seu Conselho de Administração aprovou a emissão de seus Juros sobre Capital Próprio, que serão pagos até o dia 31/05/2018. O valor corresponderá a R$ 0,15 por ação, sem atualização monetária e o beneficio irá se aplicar à posição acionaria do dia 15/12/2017.
Recomendações do dia
Smiles (SMLS3) / Benndorf Research - A Benndorf Research indicou o ativo da Smiles para quem tem estratégias no longo prazo, com baixa exposição, visando o seu potencial de valorização e retorno via dividendos. O preço-alvo é de R$ 95,00 e stop é de R$ 72,00.

Ambev (ABEV3) / Terra Investimentos - A Terra Investimentos divulgou um relatório recomendando a compra das ações da Ambev, com entrada nos R$ 20,70 e objetivos parcial e final nos R$ 21,60 e R$ 22,30, respectivamente.

Fibria (FIBR3) / UBS - O UBS manteve a recomendação de venda para os ativos da Fibria, com um preço-alvo de R$ 38.

Multiplus (MPLU3)/ Benndorf Research - A Benndorf Research divulgou um relatório hoje, no qual segundo sua análise técnica, o ativo da Multiplus não é atrativo no curto prazo e possui uma recomendação neutra no longo prazo.

JBS (JBSS3) / Deutsche Bank - O Banco reiniciou a cobertura dos ativos da JBS, mantendo a recomendação em manutenção e o preço-alvo de R$ 11,50.

Ambev (ABEV3) / Morgan Stanley - O Morgan Stanley reduziu o preço-alvo dos ativos da Ambev para R$ 19, ante R$ 20.

Locamérica (LCAM3) / BTG Pactual - O Banco afirma que a Locamerica poderia buscar por uma expansão inorgânica e afirma que “o que vemos como atrativo dado ao crescimento do retorno (RoE) da Locamerica e as sólidas projeções de crescimento”, diz o banco. O preço-alvo é de R$ 17,50.

Tim Participações (TIMP3) / UBS - O banco manteve a recomendação de compra para os papéis da Tim Participações, elevando o preço alvo de R$ 13 para R$ 17. O Banco tem uma expectativa positiva para o ativo e vê o papel subindo por conta de melhores margens, geração de caixa e retornos em alta.

.