Giro o pelo mercado

O dia é de liquidez global reduzida, por força do feriado nos Estados Unidos. No front europeu, incertezas e expectativas à véspera de Theresa May revelar os próximos passos do Reino Unido no processo do Brexit chamam atenção. Por aqui, bolsa em leve alta com certa predominância de commodities na ponta positiva. Juros em leve queda ao longo de toda a curva — falo mais a respeito logo a seguir. No feriado de Martin Luther King, lhes digo que eu também tenho um sonho. Sonho com um futuro no qual o pequeno investidor brasileiro não seja feito de bobo por bancos; onde ninguém compre título de capitalização nem aplique em fundo DI com 5 por cento de taxa de administração; um mundo no qual vender VGBL para uma viúva de 75 anos seja crime inafiançável e o investidor tenha consciência de que operar day-trade de futuros com alavancagem é um jogo viciado em favor das corretoras. Muito já se faz, mas muito ainda há por fazer.

.

.