Giro pelo mercado

Algumas coisas mudam, outras continuam parecidas.
Temer tem dificuldade de aprovar reformas no Congresso.
A Lei das Estatais e os 100% de estrangeiros aéreos emperraram.
Ainda assim, este foi o melhor primeiro semestre para a Bolsa brasileira desde 2009. 
Alta de +17%.
O mercado faz uma leitura própria sobre o que é a política café com leite.
 Jogos amistosos, na verdade, pouco importam.
Desde que triunfemos na partida final, do teto de gastos. 
Já há sinais de melhora da economia brasileira - disse Meirelles.
É verdade.
Sinais pequenos.
Sem virada estrutural, ninguém vai assumir risco numa economia que paga 6% de juros reais.
Dentro de três meses, saberemos se Temer é, de fato, café com leite, ou se topa entornar um rabo de galo.
De todos os economistas que conheço, Marcos Lisboa é quem mais bem definiu o Governo Temer até o momento, por sua “certa ambiguidade”.
CMN pensa em baixar a meta de inflação 2018 para 4,0% - mais realista que o rei.
Ao mesmo tempo, déficit primário 2017 será novamente superior a R$ 100 bi.
Queremos cortar gastos e reajustar os servidores.
Banco do Brasil vai profissionalizar, e oferece linha de R$ 750 milhões aos Correios.
Um presidente não precisa fazer tudo certo.
Só precisa estar certo naquilo que não faz.

.

.