Dilma La , Brasil aqui!

Dilma lá, Brasil aqui


Retórica de persuasão de Dilma junto à imprensa americana não me incomoda.
Ou melhor: não me incomoda tanto quanto outras prioridades no momento.
Formou-se uma clara distinção entre quem é Dilma Rousseff e quem é o Brasil.
Os bons jornalistas - onde quer que estejam - são capazes de ler e interpretar sobriamente o que ocorre por aqui.
Quanto aos maus jornalistas… bem, esses são maus jornalistas, independentemente dos fatos.
O mesmo vale para bons e maus investidores.

 Governo Dilma fechou o Brasil para os fluxos internacionais de comércio e investimento.
Não tenho dúvidas de que qualquer reabertura a partir de maio será muito bem recebida pela comunidade internacional, e isso nada tem a ver com “vender nosso país aos porcos imperialistas”.
Precisamos de investimentos externos para recuperar o crescimento e resolver gargalos de infra 
E os idosos europeus, japoneses e americanos também dependem de nós para garantir suas aposentadorias - hoje prejudicadas por juros nulos.

É, portanto, um ganha-ganha.
Falando em ganha-ganha, Paulo Rabello de Castro acaba de entrar para a lista dos candidatos à Fazenda  Paulo é um Chicago Boy de formação especialista em Fiscal, assim como era Joaquim Levy (embora tenha mais desenvoltura do que Levy).
Inclusive, foi aluno de Milton Friedman e escreveu o livro “O Mito do Governo Grátis”.
Só peço um favor aos colegas da imprensa: não perguntem ao Paulo se ele topa ou não.
Deixa acontecer naturalmente.
A verdade é que ninguém sabe quem vai assumir a Fazenda.
Talvez nem Temer saiba ainda. 
Mas pelo menos estamos falando de algo positivo: ministros notáveis, utopicamente credenciados para recuperar o Brasil.
Give me something to believe in!
Bem melhor do que escrever sobre mais uma pedalada do Governo Dilma.
Já vivemos o mito do governo grátis, e percebemos que é uma fria.
Daqui para frente, sugiro experimentarmos o mito de um governo devidamente pago, e cobrado por isso.

PARCEIROS E COLABORADORES UTILIZAM:

.