Perto do caminho


Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o presidente da Câmara avalia os rumos da macro brasileira:

"Se você falar com nove de dez economistas, estamos muito mais perto do caminho da Grécia do que do caminho da China".

Por sua vez, Eduardo Cunha está longe do caminho de entender de economia. Mesmo assim, sua impressão é hoje idêntica ao consenso de mercado.

Como a Grécia decretou feriado bancário e controle de capitais, tornou-se um risco materializado. 

É óbvio que preocupa esta chance maior de a Grécia abandonar o euro.

Mas há outro risco, logo embaixo do nariz de Cunha, passando despercebido.

.

.