Em qual Janine acreditar.

 Em qual Janine acreditar?
 
A capa da Folha desta terça-feira fala em uma nova chamada para inscrições no Fies no segundo semestre deste ano, indicada pelo ministro da Educação.
Trata-se de uma declaração curiosa, dado que Renato Janine Ribeiro havia descartado essa mesma hipótese poucas semanas atrás, enfatizando a falta de recursos públicos para lastrear o financiamento.

Em termos de recursos disponíveis, nada mudou desde o penúltimo pronunciamento de Janine, e provavelmente as coisas tenham piorado…
Então o que mudou?

Fies inglês
Do ponto de vista político, pegou mal descartar a hipótese de Fies no segundo trimestre.

Ponderando esses dois lados da balança, o da economia real e o da política, cremos que haverá sim uma nova rodada de Fies no segundo semestre, mas de porte quase que irrisório, só para inglês ver.
Às ações de educacionais, a segunda declaração do ministro é melhor do que a primeira, mas, à exceção da volatilidade momentânea gerada pelo vai-e-vem de informações, não muda quase nada.

À moda da Petro
Baseado em fundamentos, ou eventos materiais, há duas explicações possíveis para a disparada das ações da Petrobras neste pregão:

o mercado está comemorando a tomada de mais dívida pela empresa;
o mercado está comemorando a notícia de que o Conselho irá aprovar o novo Plano de Negócios da empresa no próximo dia 26.
São as duas novidades do noticiário da estatal:

Segundo a Bloomberg, Petrobras deve emitir mais dívida, via emissão de debêntures. A princípio é uma emissão pequena, e positiva por dar sobrevida a uma estrutura de capitais estrangulada e alongar o prazo da dívida, mas não é solução: mais uma vez, é pagar dívida com mais dívida.
Quanto à segunda possibilidade, interessante comemorar a aprovação de um Plano de Negócios que não é conhecido...

E se esse Plano de Negócios prever o fim dos reajustes nos preços dos combustíveis e/ou um aumento substancial da necessidade de investimentos?

PARCEIROS E COLABORADORES UTILIZAM:

.