Lula faz três indicações de nomes para a Fazenda


O nome de Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, é uma das indicações do ex-presidente Lula para ocupar o cargo de ministro da Fazenda no segundo mandato de Dilma Rousseff. Além dele, Lula indicou dois outros nomes: Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central, e Nelson Barbosa, ex-secretário-executivo do Ministério da Fazenda.
Lula já havia sugerido os nomes de Trabuco ou Meirelles a Dilma em meados do ano passado. Ontem, em uma operação para testar reações, Trabuco voltou a compor a pequena lista de in-dicações do ex-presidente da República.
Dilma não pretende anunciar nomes nos próximos dias, quando vai descansar em uma praia na Bahia. Trabuco é uma pessoa firme, culta e um excelente administrador, na definição de quem o conhece. Sua indicação implicaria uma mudança radical no estilo de governar da presidente. Ela não teria, por exemplo, liberdade para determinar a política econômica como no primeiro mandato. Ontem, questionada sobre a indicação de Trabuco, ela disse que "no tempo exato" dará os nomes dos ministros.
A primeira tarefa de quem ocupar a Fazenda será evitar que o país perca o grau de investimento que conquistou em 2008, durante a gestão de Lula. Ontem, a agência de classificação de risco Fitch informou que vai monitorar a capacidade do novo governo de melhorar o crescimento da economia e promover um ajuste fiscal. A Standard & Poor's (S&P) indicou que os sinais políticos e a capacidade de execução do novo governo "claramente" vão determinar a trajetória futura do "rating" soberano do país.
A reação do mercado à reeleição de Dilma foi negativa, mas nem de longe provocou fuga de investidores. Boa parte do resultado já estava no preço dos ativos. O dólar subiu 2,61%, para R$ 2,521, e o Ibovespa, que chegou a cair 6%, encerrou em baixa de 2,77%.


.

.