Efeito Marina beneficiou captação interna e externa

Para ler a matéria completa faça seu login ou cadastre-se
Empresas, bancos e o próprio Tesouro Nacional conseguiram se aproveitar do "efeito Marina", que até a semana passada provocou uma onda de otimismo entre os investidores, para fechar captações de recursos nos mercados de capitais local e externo. As emissões de títulos de dívida, como debêntures, somaram mais de R$ 4 bilhões entre o fim de agosto e a semana passada. No exterior, as ofertas de bônus atingiram US$ 3,4 bilhões. O Tesouro captou US$ 1,05 bilhão no mercado internacional.
O valor das emissões internas enquanto prevaleceu a bolha insuflada pela possibilidade de eleição de Marina Silva, entre os meses de agosto e setembro, atingiu o dobro do verificado no mesmo período do ano passado. No exterior, o valor foi semelhante ao captado em igual período de 2013, mas ficou acima do esperado por banqueiros que atuam na estruturação dessas operações.
Mais do que estimular o aumento no volume de captações, o cenário eleitoral ajudou a melhorar os indicadores das emissões. Com maior demanda pelos papéis, as companhias conseguiram captar recursos a taxas mais baixas do que as inicialmente projetadas, segundo um gestor de fundos de crédito privado. A empresa de shopping centers Multiplan, por exemplo, que levantou R$ 400 milhões com uma emissão de debêntures, com prazo de seis anos, pretendia pagar aos investidores juros de até 1% ao amo mais a variação do CDI. Com a forte demanda, conseguiu reduzir o custo da emissão para CDI mais 0,87% ao ano. "Seria difícil imaginar meses atrás uma operação de prazo mais longo sair tão bem ", diz uma fonte que participou da colocação.
No mercado internacional, as operações foram beneficiadas também pela conjuntura mais favorável nos Estados Unidos e pelas medidas de estímulo anunciadas na Europa. "Não acho que foi especificamente por influência da política", diz Ricardo Leoni, diretor-executivo responsável por mercados de capitais de dívida do J.P. Morgan. No entanto, a visão de que Dilma poderia ser derrotada deu um empurrão extra ao fluxo de investimentos em ativos do país, beneficiando as operações.

PARCEIROS E COLABORADORES UTILIZAM:

.