COMUNICADO AO MERCADO ESCLARECIMENTOS SOBRE UNITIZAÇÃO DOS CAMPOS DE POLVO E DE TUBARÃO MARTELO

HRT_Header_27072012_VF
 COMUNICADO AO MERCADO
ESCLARECIMENTOS SOBRE UNITIZAÇÃO DOS
CAMPOS DE POLVO E DE TUBARÃO MARTELO
Rio de Janeiro, 16 de outubro de 2014 - A HRT Participações em Petróleo S.A. (a "Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP), em razão das declarações da Óleo e Gás Participações S.A. - em Recuperação Judicial ("OGPar"), em matéria veiculada pelo jornal Valor Econômico sob o título "OGPar planeja nova fase em Tubarão Martelo", datada de 06.10.2014, realizadas, meramente, para desviar a atenção do mercado e de seus credores, vem prestar esclarecimentos a respeito da real situação do Acordo para Individualização da Produção - AIP ("Unitização") do Campo de Polvo, operado pela HRT O&G Exploração e Produção de Petróleo Ltda. ("HRT O&G"), com o Campo de Tubarão Martelo, operado pela OGX Petróleo e Gás S.A. - em Recuperação Judicial ("OGX").
Na referida matéria, a OGPar afirma discordar da avaliação da HRT sobre existência de conexão entre os campos de Tubarão Martelo e Polvo e, consequentemente, a respeito da necessidade de unitização dos campos exigida pela Resolução ANP 25, de 08.07.2013.
Não se trata de mera avaliação da HRT a existência de continuidade lateral entre os dois campos. Estudos conduzidos pela própria OGPar, em 2012, atestam que um dos reservatórios do Campo de Tubarão Martelo avança pelo chamado ring fence do Campo de Polvo, fato este que, à luz da referida Resolução, impõe a assinatura de acordo para a individualização da produção entre as concessionárias envolvidas para o compartilhamento de exploração e produção.
Face à identificação desse avanço dos reservatórios de Tubarão Martelo sobre o Campo de Polvo, a ANP condicionou formalmente a aprovação do Plano de Desenvolvimento ("PD") do Campo de Tubarão Martelo, através da Resolução de Diretoria 714 de 13.06.2013 ("RD ANP 714/2013"), à apresentação, até 31.12.2014, "[da] formalização do Acordo de Individualização da Produção - AIP relativo à extensão do reservatório para a área do Campo de Polvo".
Até o presente momento, a HRT não recebeu os dados sísmicos e geológicos por parte da OGPar, que vem tentando, de várias formas, embaraçar a unitização imposta pela Resolução ANP 25/2013. 
Diante destes fatos e das exigências absurdas feitas pela OGPar tentando inviabilizar a unitização, a HRT apresentou à Superintendência de Exploração - SDP da ANP pedido de acesso ao Processo Administrativo que contém os relatórios técnicos e o PD do Campo de Tubarão Martelo, bem como a suspensão da produção desse campo até que a ANP arbitre os termos e condições da unitização dos referidos campos.
Clique aqui para acessar o Comunicado ao Mercado.
Para informações adicionais, entre em contato com a Área de Relações com Investidores da HRT.
Sobre a HRTA HRT, através de suas subsidiárias, detém 60% de participação e é também operadora do Campo de Polvo, localizado na porção sul da Bacia de Campos, a 100 km a leste da cidade de Cabo Frio, Rio de Janeiro. A HRT é a 7ª maior operadora de campos em termos de produção diária de barris de óleo equivalentes do país, com 20.3º API, por meio de três reservatórios produtores. A HRT é proprietária, através de suas subsidiárias, da plataforma fixa "Polvo A" e de uma sonda de perfuração de 3.000 HP que operam no campo, estando a plataforma interligada ao navio "FPSO Polvo" que tem capacidade para separação de hidrocarbonetos e tratamento de água, estocagem e transferência de óleo. A licença do Campo de Polvo cobre uma área de aproximadamente 134 km2 com vários prospectos para futuras explorações. Adicionalmente, a HRT possui 55% de participação e é operadora em 19 blocos exploratórios localizados na Bacia do Solimões, sendo também operadora em dez blocos exploratórios na costa da Namíbia nas sub-Bacias de Orange e de Walvis. A HRT está comprometida em minimizar os possíveis impactos ambientais nos locais onde atua. O compromisso com as comunidades locais passa pela redução dos impactos das operações nas condições de saúde, segurança e qualidade de vida. Para mais informações acesse o site: www.hrt.com.br/ri.

.

.