Impasse em conversas eleva pressão sobre OGX



As negociações que acontecem em Nova York para buscar parceiros dispostos a aportar recursos na petroleira não avançam, o que aumenta o risco de falência

Cynthia Decloedt, do 
Fernando Cavalcanti/EXAME.com
Eike Batista na abertuda de capital da OGX
Eike Batista na abertura de capital da OGX: uma das propostas que foram postas à mesa dos credores seria a transformação dessa dívida, ou de parte dela, em ações
São Paulo - As negociações que acontecem em Nova York para buscar parceiros ou bancos dispostos a aportar recursos na petroleira OGX não avançam e o impasse aumenta o risco de a companhia chegar à falência, mesmo após um pedido de recuperação judicial, disse fonte com conhecimento do assunto.
Também não teriam progredido as conversas com os credores de US$ 3,6 bilhões em bônus emitidos pela empresa no exterior. “A recuperação deverá ser pedida, mas mesmo assim, sem aporte de recursos no curto prazo, os riscos de falência e contaminação do grupo X são enormes”, afirmou.
De acordo com informações que circulam desde a semana passada, assessores financeiros e legais da OGX estão em Nova York nesta semana negociando uma solução para evitar o colapso da companhia. São mantidas conversas também com os credores externos e essas negociações também estariam emperradas. Uma das propostas que foram postas à mesa dos credores seria a transformação dessa dívida, ou de parte dela, em ações.
A agência Dow Jones disse que as reuniões com os credores têm sido longas, que alguns avanços foram feitos, mas que o resultado das negociações é incerto e talvez seja preciso mais tempo para um acordo final ser alcançado. A Dow Jones informa também que a empresa acredita que poderá pedir recuperação judicial após 20 de outubro.
A OGX está inadimplente com os credores externos por conta do não pagamento de US$ 45 milhões em juros sobre US$ 1,063 bilhão dos bônus com vencimento em 2022, mas tem até dia 1º para honrar esse compromisso. Se não o fizer, os credores podem pedir a falência da companhia.
A hipótese maior é de que a OGX entre com pedido de recuperação judicial. No entanto, precisa de uma injeção de dinheiro para operar o quanto antes o campo de Tubarão Martelo, o único ainda viável. O Broadcast noticiou na semana passada que a companhia estaria conversando com fundos de private equity, especializados em companhias em processo de recuperação judicial, para tentar um aporte de recursos mínimo para dar início à produção em Tubarão Martelo.

.

.