COMUNICADO AO MERCADO ESCLARECIMENTO SOBRE CONSULTAS CVM/BOVESPA OFÍCIO BM&FBOVESPA GAE 3727-13 DE 7 DE OUTUBRO DE 2013 HRT PARTICIPAÇÕES EM PETRÓLEO S.A.


HRT_Header_27072012_VF
COMUNICADO AO MERCADO
ESCLARECIMENTO SOBRE CONSULTAS CVM/BOVESPA
OFÍCIO BM&FBOVESPA GAE 3727-13 DE
 7 DE OUTUBRO DE 2013
HRT PARTICIPAÇÕES EM PETRÓLEO S.A.
Rio de Janeiro, 8 de outubro de 2013 - HRT Participações em Petróleo S.A. (a "Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP), vem prestar esclarecimentos solicitados pela BM&FBOVESPA no Ofício em referência, acerca da notícia veiculada no jornal Brasil Econômico.
Clique aqui para acessar o Ofício na íntegra.
Fazemos referência ao Ofício GAE 3727-13 - HRT PETROLEO, por meio do qual esta D. Autarquia solicita esclarecimentos sobre o teor da notícia veiculada pelo jornal Brasil Econômico, na edição de 7 de outubro de 2013, sob o título "HRT busca fusão após queda de 77% em suas ações", bem como outras informações consideradas importantes. 
A Companhia esclarece que as informações ali contidas foram previamente divulgadas ao mercado: 
1) Redução da exploração - Conforme já comunicado ao mercado em 1º de julho de 2013 e ratificado através do Relatório Trimestral de Resultados, divulgado em 13 de agosto de 2013, a HRT decidiu priorizar os levantamentos sísmicos, para somente após um novo período de estudos e reavaliação do referido local, planejar e desenhar novos prospectos a serem perfurados: "o programa exploratório no Solimões foi revisto e significativamente reduzido em virtude dos recentes resultados." e "Nosso programa na Bacia do Solimões foi revisto e o foco da HRT passa a ser a aquisição de dados sísmicos 2D em áreas onde a perfuração ainda não foi realizada. A decisão de adiar a campanha de perfuração no Solimões, nesse momento, é uma decisão estratégica, uma vez que o período coincide com um pujante momento da campanha exploratória na Namíbia e um momento em que o projeto de monetização do gás ainda está sendo analisado"
Na Namíbia, a Companhia anunciou que a campanha inicial seria de 3 ou 4 poços (o 4º apenas se tivesse celebrado nova parceria) e assim o cumpriu.

Sob a ótica exploratória, a Companhia entende que a melhor forma de agregar valor para Namíbia e para o Solimões, neste momento, é reavaliar e estudar os resultados das perfurações e dos levantamentos sísmicos realizados até então, em conjunto com os parceiros de ambas as regiões, de modo a planejar a campanha exploratória futura. 
2) Parcerias Estratégicas - A criação do Comitê Especial, divulgada em Comunicado ao Mercado de 1º de julho de 2013 e em Fatos Relevantes de 22 de julho de 2013 e de 4 de setembro de 2013, com o propósito de"avaliar alternativas de desenvolvimento inorgânico para a HRT, incluindo, mas não se limitando a potenciais vendas de ativos, combinações estratégicas ou fontes adicionais de capital.", pressupõe crescimento que não decorre dos seus ativos atuais de exploração. Essas parcerias podem ocorrer nos diversos níveis da organização e buscam fortalecer a posição financeira da Companhia e, consequentemente, sua capacidade de investimentos de longo prazo. 
3) As atividades de exploração no onshore do Solimões e no offshore da Namíbia consomem muito capital, conforme pode ser observado nas Demonstrações Financeiras Trimestrais da Companhia. Sendo assim, a HRT, com o propósito de preservação e sustentabilidade do caixa da empresa, não pretende alocar o caixa atual nessa atividade em ambas as áreas, devendo ainda definir novas fontes de recursos para esses investimentos. 
Por isso, a Companhia, conforme informado no Fato Relevante de 4 de setembro de 2013, "após o anúncio das iniciativas de desinvestimento de ativos não estratégicos e com foco na recuperação de capital,", vem buscando parcerias e novas fontes de capital, e, ao mesmo tempo, procura reduzir sua exposição a ativos "exclusivamente" de exploração, buscando incorporar ativos também de produção e consequentemente geradores de caixa. Um dos exemplos foi a aquisição de 60% do Campo de Polvo, conforme divulgado em Fato Relevante de 6 de maio de 2013: "A aquisição de 60% do Campo de Polvo e nossa recente qualificação como Operadora "A", pela ANP, são marcos fundamentais na implementação de nossa estratégia de diversificação do portfólio para além dos ativos de exploração." 
Permanecemos à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se façam necessários.
Sobre a HRTO Grupo HRT é composto por uma das maiores empresas independentes de exploração e produção de óleo e gás natural do Brasil. A HRT Participações possui seis principais subsidiárias: a IPEX (Integrated Petroleum Expertise Company Serviços em Petróleo Ltda.), a HRT O&G Exploração e Produção de Petróleo Ltda., a HRT Netherlands B.V., a HRT África Petróleo S.A., a HRT América Inc. e a HRT Canada Inc.. A Companhia detém 55% de participação em 19 blocos exploratórios localizados na Bacia do Solimões. A HRT também é operadora de dez blocos exploratórios na costa da Namíbia: oito blocos na Sub-Bacia de Orange e dois blocos na Sub-Bacia de Walvis. A HRT possui uma equipe composta por doutores e mestres em geologia, geoquímica, geofísica, biologia e engenharia, sendo a maioria deles ex-funcionários da Petrobras e da ANP. A HRT está comprometida em minimizar os possíveis impactos ambientais nos locais onde atua. O compromisso com as comunidades locais passa pela redução dos impactos das operações nas condições de saúde, segurança e qualidade de vida. Para mais informações acesse o site: www.hrt.com.br/ri.

HRT Relações com Investidores
Tel: +55 21 2105-9700 | Fax: +55 21 2105-9713
Av. Atlântica 1130 | 10º andar | Copacabana | Rio de Janeiro | RJ | CEP 22021-000
email: ri@hrt.com.br | website: www.hrt.com.br/ri
Contatos RI
Ricardo Bottas Dourado
ri@hrt.com.br
Sandra Calcado
sandra.calcado@hrt.com.br
Tainah Costa
tainah.costa@hrt.com.br

.

.