MMX anuncia desistência do projeto no Chile



Companhia do grupo EBX considerou agora o projeto de investimentos menos atraente em termos de retorno financeiro

Divulgação
MMX, a única que já dá dinheiro
Mina da MMX: desistência implica baixa contábil R$ 224 milhões no balanço de 2012
São Paulo - A MMX, empresa de mineração do bilionário Eike Batista, informou nesta quinta-feira que desistiu de um projeto de investimentos no Chile, por considerá-lo agora menos atraente em termos de retorno financeiro, segundo fato relevante.
A desistência de projeto implica baixa contábil 224 milhões de reais no balanço de 2012, acrescentou a empresa.
A companhia desistiu do projeto Minera MMX de Chile, instalada na cidade de Copiapó, onde a subsidiária da companhia brasileira detém os direitos minerários para extração de minério de ferro em região do Deserto do Atacama, segundo a assessoria de imprensa.
O empreendimento estava em fase de mapeamento geológico, acrescentou a assessoria, sem dar mais detalhes.
De acordo com fato relevante, a diretoria da MMX decidiu rever sua estratégia para os ativos minerários do Chile ao avaliar itens como fornecimento de energia elétrica e logística, que sinalizaram a possibilidade de expressivos aumentos no investimento, "tornando-os menos atraentes em termos de risco e retorno".
A empresa disse ainda que está fortemente orientada para a entrada em operação do Superporto Sudeste no final de 2013 no Brasil, para o aumento de seu atual volume de exportações e para a implementação do projeto de expansão da Unidade Serra Azul.
"Estamos revisando o modelo de negócios da companhia na busca de maior valor agregado para nossos acionistas", afirmou o diretor presidente e de Relações com Investidores da MMX, Carlos Gonzalez, em nota.

.

.