Brasil Foods vira BRF de olho em expansão global


Terminada a fusão entre Perdigão e Sadia, companhia simplifica marca e cria nova identidade visual


Divulgação
José Antonio Fay, presidente da BRF, em apresentação para funcionários da nova marca da empresa
José Antonio Fay, presidente da BRF, em apresentação para funcionários da nova marca: empresa ganhou nome mais simples e identidade visual remodelada
São Paulo - A partir desta quinta, a gigante Brasil Foods, resultado da união entre Perdigão e Sadia, passará a se chamar BRF. Fruto de um trabalho de dois anos, a estratégia faz parte do reposicionamento institucional da companhia, iniciado após a conclusão da fusãoem dezembro do ano passado. A transação foi anunciada em maio de 2009.

O padrão visual da empresa também foi completamente modificado, ganhando novas cores e um globo. Em nota à imprensa, Wilson Mello, vice-presidente de assuntos corporativos da BRF, afirmou que o trabalho reflete a estratégia de negócios da companhia de "ser uma marca global e estar entre as maiores empresas de alimentos do mundo".
Um dos motivos da mudança, segundo pessoas próximas à companhia, é que a indicação do país de origem na antiga marca, Brasil Foods, acabava afastando potenciais compradores na Europa. Parte desses consumidores teria preconceito com os itens de origem animal produzidos no país. Hoje, a BRF responde por 9% das exportações mundiais de proteína animal.
Daqui para frente, a BRF investirá 3 milhões de reais para divulgar a nova marca, um aporte relativamente pequeno perto de sua verba anual de marketing, que gira em torno de 400 milhões de reais. A substituição da identidade visual será feita de forma gradativa nas 63 unidades da empresa no Brasil. As novas mensagens e logo também serão inseridas nos produtos da Perdigão, Sadia, Batavo, Elegê e Qualy, marcas administradas pela companhia.

.

.