OGX poderá reduzir participação em Tubarão Martelo



Segundo diretor, companhia de petróleo de Eike Batista poderá reduzir sua participação em áreas na bacia de Campos

Funcionários da OGX
Funcionários da OGX: empresa projeta o primeiro óleo no campo para o quarto trimestre de 2013
Rio de Janeiro - A OGX, companhia de petróleo do bilionário Eike Batista, poderá reduzir sua participação em áreas como a de Tubarão Martelo, na bacia de Campos, disse nesta terça-feira o diretor financeiro da companhia, Roberto Monteiro, em evento para investidores.

Tubarão Martelo, na bacia de Campos, abriga uma das mais antigas descobertas da OGX, que projeta o primeiro óleo no campo para o quarto trimestre de 2013.
"De uma forma geral faz sentido o 'farm-out' de campos maduros, de campos que já estão em desenvolvimento... Você tem maior conhecimento e mais pessoas com interesse em comprar", disse Monteiro.
Entretanto, o diretor disse que, no momento, não existe nenhuma negociação para venda de participação.
A venda pode ser uma forma de a companhia levantar recursos para arcar com os gastos do desenvolvimento do BS-4, na bacia de Santos, bloco no qual a companhia adquiriu recentemente 40 por cento de participação junto à Petrobras por 270 milhões de dólares.
Com a compra do BS-4, a previsão de investimento da companhia para 2013 subiu em até 130 milhões de dólares, para cerca de 1,3 bilhão de dólares, contra mais de 2 bilhões de dólares em 2012.
As ações da companhia operavam em queda de 2,8 por cento, às 11h23, enquanto o Ibovespa caía 0,13 por cento.

PARCEIROS E COLABORADORES UTILIZAM:

.