Wuhan diz que não cancelou projeto de siderúrgica com EBX


Ontem o jornal 21st Century Business Herald disse que o projeto para construção da unidade tinha se tornado inviável devido aos elevados custos de logística

Reginaldo Teixeira/Contigo
Eike Batista, presidente da holding EBX
Presidente da EBX: projeto da fábrica foi firmado em 2009 entre a Wuhan e o conglomerado brasileiro do bilionário Eike Batista
Pequim - A chinesa Wuhan Iron and Steel não engavetou um projeto para construir uma siderúrgica de US$ 5 bilhões no Brasil, disse hoje um porta-voz da companhia, ao desmentir reportagem veiculada na mídia local. "A notícia está errada", afirmou o porta-voz. "Podemos dizer que este projeto não mudou."
Na terça-feira, o jornal econômico 21st Century Business Herald, citando duas pessoas não identificadas familiarizadas com o assunto, informou que a parceria para construir a fábrica, firmada em 2009 entre a Wuhan e o conglomerado brasileiro EBX, do bilionário Eike Batista, tornou-se inviável devido aos elevados custos de logística. Isso porque exigiria a construção de uma ferrovia de 300 quilômetros para transportar matéria-prima para a usina.
A previsão é que a fábrica, a ser instalada na zona industrial do Porto de Açu, no Rio de Janeiro, produza 5 milhões de toneladas métricas de aço por ano. Quarta maior produtora de aço da China, a Wuhan não informou a data do lançamento da unidade. As informações são da Dow Jones.

.

.