Wuhan desiste de construir siderúrgica junto com EBX


A quarta maior siderúrgica da China assinou, em novembro de 2009, um contrato com o conglomerado do bilionário Eike Batista para construir a usina no Brasil


O empresário Eike Batista, CEO do Grupo EBX, em um painel de discussões em Beverly Hills, nos Estados Unidos
Eike, empresário da EBX: estudos de viabilidade mostraram que o projeto tem elevados riscos de mercado, incluindo os custos associados com a logística e o carvão de coque
Pequim - A chinesa Wuhan Iron and Steel arquivou um projeto de US$ 5 bilhões para construir uma siderúrgica no Brasil, após o plano tornar-se inviável devido aos altos custos de logística, informou hoje o jornal econômico 21-Century Business Herald, citando duas pessoas familiarizadas com o assunto.
Quarta maior siderúrgica da China, a Wuhan assinou, em novembro de 2009, um contrato com o conglomerado brasileiro EBX, do bilionário Eike Batista, para construir a usina. No entanto, estudos de viabilidade mostraram que o projeto tem elevados riscos de mercado, incluindo os custos associados com a logística e o carvão de coque.
O projeto, localizado na zona industrial de Açu, no Rio de Janeiro, e com um potencial para produzir 5 milhões de toneladas métricas por ano, exigiria uma ligação ferroviária de 300 quilômetros, que elevou drasticamente os custos, informou uma das fontes. As informações são da Dow Jones.

.

.