Venezuela poderá exportar petróleo cru para o Brasil


Presidente Hugo Chávez afirmou que o seu país poderá exportar petróleo cru para o nosso país, para alimentar sua demanda interna

Hugo Bachega, da 
Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Hugo Chávez falando com a imprensa antes de ir ao Brasil
Hugo Chávez falando com a imprensa venezuelana antes de ir ao Brasil
Brasília - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse na terça-feira que o seu país poderá exportar petróleo cru para o Brasil, que precisa importar o produto para suprir a demanda interna.
A Venezuela é membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e tem uma das maiores reservas de petróleo do mundo.
"Nós, por exemplo, propomos e a presidente (Dilma Rousseff) se mostrou muito, muito interessada e já demos as primeiras instruções para que a Venezuela exporte petróleo cru ao Brasil", disse Chávez a jornalistas após participar de jantar oferecido por Dilma no Palácio da Alvorada, residência oficial da presidente.
"O Brasil está importando petróleo ainda e nós estamos incrementando a produção. Este ano a Venezuela vai chegar de 3 milhões de barris diários de cru a 3,5 milhões", disse ele.
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, também participaram do jantar, que terminou por volta de meia noite.
A Petrobras e a venezuelana PDVSA são sócias na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, mas a estatal brasileira ainda aguarda as garantias financeiras necessárias da parte da PDVSA, que precisa de aval do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), financiador da obra.
A parceria entre as duas petrolíferas na refinaria foi celebrada em 2005, antes da descoberta do pré-sal brasileiro, em 2006. Na época, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Chávez fecharam o acordo prevendo a utilização de petróleo venezuelano, mais pesado que o brasileiro.
Chávez confirmou que o assunto foi discutido no jantar, mas não deu detalhes.
O presidente socialista, de 58 anos, também comemorou a adesão da Venezuela ao Mercosul, que será oficializada durante reunião de cúpula entre os presidentes de Argentina, Brasil e Uruguai.
O Paraguai, que também é membro pleno do bloco, está suspenso politicamente desde o processo que levou ao impeachment do ex-presidente Fernando Lugo.
"A entrada da Venezuela no Mercosul do ponto de vista venezuelano é um fator que completa uma equação", disse ele, comemorando o fato do bloco chegar ao Caribe.
Na terça-feira, Chávez assinará a compra de 20 aviões da Embraer para a empresa aérea estatal venezuelana. O acordo foi anunciado em dezembro, mas os valores não foram divulgados. Ele disse que a primeira aeronave deverá ser entregue em setembro.
A visita de Chávez a Brasília é uma hoje rara viagem internacional do mandatário, em meio a dúvidas sobre seu estado de saúde após ter retirado dois tumores malignos. Ele se disse totalmente curado do câncer nas últimas semanas.

.

.