Agenda do investidor para esta segunda-feira



A FGV (Fundação Getulio Vargas) divulga o IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor - Semanal) e a Sondagem de Expectativas do Consumidor pela Fundação Getulio Vargas, índice que mede através de questionários a famílias as principais capitais do Brasil sobre situação econômica do país e da família, orçamento doméstico, grau de dificuldade de encontrar trabalho e intenções de compras de bens de alto valor. O Banco Central divulga o Relatório Focus e o Ministério do Desenvolvimento apresenta a Balança Comercial da semana. O Banco Central publica a Nota de Mercado Aberto com as informações sobre as operações com títulos públicos federais. Nos EUA, o Departamento do Comércio divulga o número das Vendas de Imóveis Novos.
Petrobras e reajuste: Qual será a reação das ações?
Petrobras e reajuste: Qual será a reação das ações? A Petrobras (PETR4) anunciou nesta última sexta-feira passada, após o fechamento dos mercados, que reajustará os preços de venda da gasolina e diesel, nas refinarias e a partir de hoje, em 7,83% e 3,94% respectivamente. Os investidores se perguntam qual efeito da medida nas ações da companhia. No final do ano passado, a Petrobras também anunciou um reajuste no preço dos combustíveis de proporção similar. Na época, no dia seguinte ao anúncio, as ações da companhia registraram perdas durante todo o dia. É que os investidores haviam antecipado a notícia do ajuste de preços, o que fez as ações da companhia ganharam 8,4% nos quatro dias anteriores ao anúncio. Desta vez, como os rumores de um reajuste iminente circulando no mercado, as ações da companhia já registravam ganhos 5,4% até o final da semana passada. Os analistas não se arriscam a opinar sobre como as ações da companhia irão reagir neste pregão, no entanto, fica claro que um reajuste no preço dos combustíveis certamente irá auxiliar os ganhos da Petrobras para os próximos trimestres. Hoje a Petrobras também apresenta seu plano de negócios para o período de 2012 a 2016 a investidores e analistas, antes da abertura do mercado, o que pode trazer ainda mais volatilidade aos papéis.

.

.