Lucro líquido da Brookfield despenca no primeiro trimestre


Por Thais Folego | Valor

SÃO PAULO - 
A Brookfield Incorporações apresentou lucro líquido de R$ 4 milhões no primeiro trimestre, uma queda de 94% quando comparado aos R$ 65,8 milhões de igual período do ano passado. Com isso, a margem líquida caiu de 9% para 0,6% na comparação anual.

Segundo a companhia, o lucro foi impactado principalmente por três fatores: o aumento do número de distratos (rescisão ou anulação de contrato), ajustes de custos e aumento das despesas operacionais e administrativas.
O resultado veio bastante abaixo da média das projeções de cinco instituições financeiras consultadas pelo Valor – Banif, Barclays, BES, Bradesco e Credit Suisse –, que era de lucro líquido de R$ 67,8 milhões no período, equivalente a uma alta de 3%.
“Estamos desapontados com o lucro líquido no trimestre. Entretanto, acreditamos ter tomado as medidas necessárias para melhorar o gerenciamento de custos e da carteira de clientes”, diz a mensagem do presidente, Nicholas Reade, no release de resultados.
A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) somou R$ 95,7 milhões, queda de 46,8% na relação anual. A margem Ebtida caiu 10,4 pontos percentuais, para 14,2%.
A receita líquida no período foi de R$ 672,5 milhões no primeiro trimestre, queda de 8% .
O volume de vendas contratadas atingiu R$ 795 milhões no primeiro trimestre, avanço de 24,6%. Os lançamentos totalizaram R$ 380 milhões, retração de 18,5%.

.

.