Juros dos financiamentos afinal não caíram



Segundo dados do Banco Central, poucas linhas tiveram reduções significativas, e algumas até ficaram mais caras

  

 


Caixa Econômica
Os cortes mais significativos ficaram por conta de duas linhas de crédito da Caixa
São Paulo – O movimento dos grandes bancos para derrubar os juros ainda não surtiu grandes efeitos. Até o início de maio o custo de empréstimos e financiamentos não viu praticamente redução alguma, chegando a ter elevação em alguns casos. Segundo dados do Banco Central, da semana de 3 a 10 de abril até a semana de 30 de abril a 7 de maio, as médias dos juros praticados, informadas pelos bancos ao BC, ficou praticamente no zero a zero.
Os cortes mais significativos ficaram por conta da Caixa – no cheque especial e nas linhas para aquisição de bens. O Itaú Unibanco conseguiu uma redução modesta, mas homogênea, em todas as linhas para as quais havia anunciado mudanças. Bradesco, Santander, Itaú e BB anunciaram uma nova leva de cortes de juros no início de maio, que devem ser implementadas no final do mês. Veja nas tabelas abaixo a comparação entre as taxas mensais e anuais entre a primeira semana de abril e a primeira semana de maio.
CaixaCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/045,09%*81,44%**2,19%29,69%1,85%24,60%5,88%98,50%
De 30/04 a 07/054,34%66,50%2,04%27,42%1,85%24,60%4,16%63,08%
BBCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/048,62%169,72%2,71%37,83%1,55%20,27%1,85%24,60%
De 30/04 a 07/058,59%168,83%2,56%35,44%1,41%18,30%1,84%24,46%
BradescoCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/048,76%173,92%4,78%75,12%1,69%22,28%2,48%34,17%
De 30/04 a 07/058,77%174,23%4,68%73,13%1,65%21,70%2,61%36,23%
Itaú UnibancoCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/048,83%176,05%3,99%59,92%1,82%24,16%N/DN/D
De 30/04 a 07/058,72%172,72%3,77%55,91%1,58%20,70%N/DN/D
HSBCCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/0410,17%219,71%4,28%65,35%1,64%21,56%4,16%63,08%
De 30/04 a 07/0510,13%218,32%4,47%69,00%1,57%20,56%4,46%68,81%
SantanderCheque especialCrédito PessoalFinanciamento de veículosAquisição de bens
De 03/04 a 10/0410,34%225,68%3,57%52,34%1,68%22,13%3,26%46,96%
De 30/04 a 07/0510,32%224,98%3,75%55,55%1,75%23,14%2,92%41,25%
(*) Coluna da esquerda: taxa mensal
(**) Coluna da direita: taxa anual
Na Caixa, onde houve as reduções de juros mais agressivas, houve uma modesta queda nas taxas mensais, e o custo dos financiamentos de veículos ficou inalterado. O destaque ficou por conta da redução nos juros do cheque especial e da aquisição de bens, que no ano, foi 15 e 35 pontos percentuais, respectivamente. Dados divulgados recentemente pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac)atestam que, ao longo do mês de abril, a Caixa derrubou os juros do cheque especial em 56%. 
O BB seguiu os cortes, mas nem tão de perto. As reduções foram bem mais modestas, com destaque para o crédito pessoal e o financiamento de veículos, cujas taxas anuais diminuíram cerca de 2 pontos percentuais. No dia 4 de maio, o banco anunciou nova queda de juros no cheque especial e no Crédito Direto ao Consumidor (aquisição de bens) para quem recebe o salário pelo banco. A linha de crédito pessoal para qualquer cliente também foi reduzida. Mas as mudanças só serão implementadas no dia 27 de maio.
No Bradesco, as taxas do cheque especial e de aquisição de bens tiveram elevação no período analisado. No primeiro caso, o banco não anunciou redução de taxas, mas no segundo caso, até a taxa máxima dos financiamentos havia sido reduzida. As linhas de crédito pessoal e financiamento de veículos viram modestas reduções. No dia 14 de maio, foram anunciados cortes no cheque especial, no crédito pessoal e no rotativo do cartão de crédito para clientes que aderirem a um determinado pacote de serviços.
Já no Itaú Unibanco, todas as taxas acompanhadas (cheque especial, crédito pessoal e financiamento de veículos) tiveram redução de quatro pontos percentuais no ano. O banco havia anunciado reduções no cheque especial e no financiamento de veículos, além do crédito rotativo. No dia 11 de maio foi anunciado novo ciclo de queda de juros para crédito pessoal, cheque especial e cartão de crédito, para os clientes com conta salário no banco.
No HSBC, que havia anunciado redução das taxas mínimas do crédito pessoal e do financiamento de veículos, apenas a segunda viu redução de fato, de apenas um ponto percentual na comparação entre as taxas anuais. As taxas do crédito pessoal, assim com as de aquisição de bens, subiram. A taxa do cheque especial permaneceu praticamente inalterada.
O Santander, que havia reduzido apenas taxas de cheque especial, manteve os juros dessa linha de crédito praticamente inalterados. Houve elevação nos juros do crédito pessoal e do financiamento de veículos, e uma redução até significativa na aquisição de bens: de quase 6 pontos percentuais na comparação entre as taxas anuais. No dia 21 de maio entrará em vigor um pacote de redução de juros para quem recebe o salário pelo banco, para linhas como crédito pessoal, cheque especial, cartão de crédito e financiamento de veículos.

.

.