Dicas sobre o múltiplo P/L


Um leitor fez a seguinte pergunta: “Qual o significado de um múltiplo P/L (preço por lucro) negativo?”. Uma ação com P/L alto necessariamente está cara? Veja essas e outras considerações sobre esse importante instrumento da análise fundamentalista.

Significado
O múltiplo P/L (preço por lucro) é um dos indicadores mais utilizados na análise fundamentalista. Como já dito em outros posts, ele representa o número de anos necessários para se obter o valor pago pela ação por intermédio dos lucros distribuídos, desde que atendidas algumas premissas: i) todo o lucro seja repassado aos acionistas, ii) os resultados dos próximos anos sejam iguais aos do ano base e iii) a cotação não se altere. Já o inverso do P/L (1/P/L) mede o retorno esperado da ação. Assim um P/L de 5 vezes significa que o acionista obterá o valor despendido pela ação em 5 anos desde que atendidas as premissas acima, enquanto o inverso do múltiplo mostra que o retorno será de 20% anuais.
Em regra, quanto menor o múltiplo, mais atrativa está a ação.
Com ler o P/L negativo?
Quando a empresa apresenta prejuízo no exercício, o P/L será negativo. Contudo não necessariamente uma ação com múltiplo negativo é um mau investimento. Deve se buscar as causas para o mau resultado da companhia. O resultado líquido está sendo reduzido por amortização de ágio? Nesse caso como o efeito do ágio é apenas contábil, o prejuízo não é tão preocupante. A empresa apresentou despesas pontuais no exercício que não se verificarão no exercício seguinte, permitindo uma melhora do resultado?
Interessante contar o que ocorreu com algumas companhias do setor elétrico na década de 90. Antes da privatização algumas empresas apresentavam prejuízos ano a ano. Foi o caso da distribuidora baiana Coelba. Com a nova administração privada, o nível de despesas reduziu-se substancialmente, permitindo que a companhia passasse a produzir lucros. O preço da ação rapidamente refletiu esse melhor momento.
Em regra, prejuízos causados por elevado endividamento preocupam, pois as despesas financeiras acabam por consumir o resultado operacional.
P/L histórico ou P/L projetado?
O múltiplo mais relevante para a tomada de decisão é aquele que leva em conta o lucro projetado. Assim é interessante observarmos os P/Ls 2012 e 2013, calculados dividindo-se a cotação atual pelos lucros estimados por ação para 2012 e 2013, respectivamente.
O múltiplo P/L 2011 (com base no lucro de 2011) tem mais importância histórica do que como instrumento de análise. O resultado líquido observado no ano passado não necessariamente irá se repetir em 2012.
Múltiplo P/L alto significa necessariamente que a ação está cara? O PEG ratio
Não. O múltiplo é estático. Reflete a realidade de apenas um exercício. Assim, embora o P/L 2012 possa estar elevado, a empresa pode apresentar forte crescimento nos anos seguintes o que contribuirá para o múltiplo desinflar.
Para incorporar ao múltiplo a expectativa do crescimento do resultado nos próximos exercícios existe o PEG ratio (“price earnings growth ratio”). O PEG é o P/L dividido pelo crescimento médio anual esperado para os próximos 3 a 5 anos. Considere uma ação X com P/L 2012 de 20 vezes, enquanto outra ação Y apresenta múltiplo de 5 vezes.  O crescimento esperado para os próximos 3 anos da primeira é de 40% anuais e a da segunda, 5%. Logo o PEG ratio da ação X é de 0,5 vez e o da Y, 1 vez. Enquanto a ação Y é mais atrativa pelo múltiplo P/L 2012, a ação X é mais interessante quando se observa o PEG ratio. Contudo a companhia X apresenta maior risco, pois a administração pode não entregar o forte crescimento esperado.

.

.