BB, Bradesco e Santander: Sai ou não sai negócio?


Agenda do investidor para esta sexta-feira / (advfn)
Hoje a FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) divulga o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), índice que mede a variação de preços para o consumidor na cidade de São Paulo com base nos gastos de quem ganha de um a vinte salários mínimos. Sai a Sondagem de Expectativas do Consumidor pela Fundação Getulio Vargas, índice que mede através de questionários a famílias as principais capitais do Brasil sobre situação econômica do país e da família, orçamento doméstico, grau de dificuldade de encontrar trabalho e intenções de compras de bens de alto valor. No Brasil o Banco Central publica a Nota de Política Monetária com os dados sobre a evolução dos agregados monetários (papel moeda, depósitos, câmbio entre outros) e operações de crédito do sistema financeiro. Nos EUA, a Universidade de Michigan/Reuters apresenta a Confiança do Consumidor, índice que revela a confiança e expectativa do consumidor em relação à economia em geral.
BB, Bradesco e Santander: Sai ou não sai negócio?
Nesta semana, circulou no mercado o rumor de que o Banco do Brasil (BBAS3) e o Bradesco (BBDC4) estariam em negociações com o Santander Brasil (SANB11) para compra de uma grande participação no banco espanhol. A informação foi veiculada pelo jornal O Estado de S.Paulo. Segundo o jornal, o Santander estaria planejando vender de 30% a 40% do capital do banco, um negócio avaliado entre 30 a 64 bilhões de Reais, dependendo do método de avaliação e o percentual vendido. O Santander estaria leiloando parte da operação brasileira para fazer frente às demandas de capital da matriz, na Espanha. No entanto, ontem, novas informações chegaram ao mercado mostrando que a presidente Dilma Rousseff teria barrado as intenções do Banco do Brasil. Dilma não gostaria de fazer o BB um concentrador no setor, o que eliminaria parte da concorrência e poderia limitar a recente queda nos spreads bancários. Agora sobra para o Bradesco a continuidade à história.

.

.